Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Erdogan adverte EUA sobre 'grande erro' ao estabelecerem condições de retirada da Síria

Nesta terça-feira (8), o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, acusou os EUA de cometerem um "grande erro" ao protegerem os combatentes curdos na Síria, e voltou a ameaçar lançar uma ofensiva contra as milícias curdas no norte da República Árabe.


Sputnik

O líder turco reagiu assim aos comentários feitos no domingo (7) pelo conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, que afirmou que as tropas norte-americanas não se retirarão da Síria até que os últimos bastiões terroristas do Daesh sejam destruídos e a Turquia garanta a segurança das milícias curdas apoiadas por Washington.


Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan
Recep Tayyip Erdogan © AFP 2018 / STR / TURKISH PRESIDENTIAL PRESS OFFICE

"Achamos impossível aceitar e engolir as declarações de Bolton feitas em Israel", afirmou Erdogan discursando na frente do grupo parlamentar do Partido da Justiça e Desenvolvimento Turco (AKP).

"Bolton está cometendo um grande erro, sua declaração é inaceitável", acrescentou o presidente, que chamou de "grande mentira" a luta das Unidades de Proteção Popular (YPG) na Síria contra o Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em vários países).

Erdogan acrescentou que em breve a Turquia "passará a ações decisivas para neutralizar os terroristas na Síria".

Por sua vez, o porta-voz de Erdogan, Ibrahim Kalin, enfatizou nesta terça-feira (8) que os EUA não devem demorar com a retirada de suas tropas da Síria, para não darem chance aos grupos terroristas.

Durante a coletiva de imprensa após sua reunião com Bolton em Ancara, Kalin também observou que a Turquia está pedindo que Washington apreenda as armas entregues às milícias curdas na Síria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas