Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Especialista militar avalia capacidade do exército da Venezuela

O exército da Venezuela tem boa capacidade de combate em comparação com o exército da vizinha Colômbia, mas, se o compararmos com os exércitos dos EUA e do Brasil, é um exército fraco, disse à Sputnik o coronel-general aposentado Leonid Ivashov, presidente da Academia de Problemas Geopolíticos da Rússia.


Sputnik

O especialista informou que a Rússia fornece à Venezuela armas para as forças terrestres, defesa aérea, acrescentando que o estado e o poderio de um exército só podem ser avaliados em comparação com os possíveis adversários.


Soldados das Forças Armadas venezuelanas (foto do arquivo)
Militares venezuelanos © AFP 2018 / Juan Barreto

"Para alguns, o exército venezuelano é forte, mas para o exército dos EUA, que estão por trás da mudança de governo na Venezuela, é fraco. Também é fraco em comparação com o exército do vizinho Brasil, mas é bastante capaz em comparação com o exército da Colômbia", disse Ivashov.

O presidente Maduro afirmou em recente entrevista: "Sempre temos planos para avançar na cooperação para melhorar a defesa aérea, a artilharia e os sistemas de mísseis. Nós sempre avançaremos aqui. A Venezuela receberá os armamentos mais avançadas do mundo". Ele afirmou ainda que os armamentos russos chegam ao país todos os meses.

O especialista também expressou preocupação com a provável "divisão" do exército venezuelano, a sua divisão em grupos com posições políticas opostas no contexto da mudança de poder. "Por enquanto a maior parte dos militares continua fiel a Nicolás Maduro", disse.

Comentários

Postagens mais visitadas