Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

EUA anunciam novas sanções contra venezuelanos

Rede de TV Globovisión está entre as 23 organizações sancionadas. Sete indivíduos também foram alvo.


Por G1

Os Estados Unidos anunciaram nesta terça-feira (8) novas sanções contra indivíduos e empresas da Venezuela. De acordo com uma nota publicada no site do Departamento de Tesouro dos EUA, as sanções visam um esquema de rede de câmbio venezuelano que desviou bilhões de dólares para funcionários do governo do presidente Nicolás Maduro.

Resultado de imagem para Globovisión

Os alvos são 7 indivíduos e 23 organizações, incluindo a rede privada de televisão Globovisión.

"Membros do regime venezuelano roubaram bilhões de dólares da Venezuela enquanto o povo venezuelano sofre. O Tesouro está mirando essa rede de câmbio que era outro esquema ilícito que o regime da Venezuela costumava roubar do seu povo", disse o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, em comunicado.

Dois ex-tesoureiros nacionais da Venezuela estão entre as pessoas atingidas: Claudia Patricia Diaz Guillen e Raul Antonio Gorrin Belisario.

Segundo o governo americano, o esquema de corrupção envolvia casas de câmbio autorizadas pelo governo, que venderam dólares por bolívares em mercados paralelos a uma taxa de câmbio mais alta do que a taxa oficial. O lucro obtido pela diferença entre a taxa do mercado negro e a taxa oficial do governo foi ocultado em contas bancárias e investimentos nos EUA e na Europa.

Maduro vai assumir um novo mandato na próxima quinta-feira (10), após um processo eleitoral rejeitado pela oposição e por diversos países.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas