Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

EUA manterão operações contra extremistas no Afeganistão

Os EUA planejam retirar cerca de 7 mil dos 14 mil soldados em serviço no Afeganistão, mas as Forças de Operações Especiais (SOF, sigla em inglês) permanecerão no país para continuar as missões contra os militantes do talibã e do grupo terrorista Daesh, informou a mídia.


Sputnik

O general Austin Scott Miller, comandante das forças dos EUA e da OTAN no país asiático, tentará implementar o plano nos próximos oito a 12 meses, reportou o portal Military.com, citando uma fonte mantida em anonimato.


Contingente militar dos EUA no Afeganistão
Militares dos EUA no Afeganistão © AFP 2018 / Ed JONES

"Teremos uma força de ataque no país", disse a fonte, referindo-se ao contingente das SOF.

Os rumores sobre os supostos planos de Washington de retirar suas forças do Afeganistão surgiram em dezembro, na sequência do anúncio do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre a retirada das tropas da Síria em virtude da derrota do Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia e em vários outros países).

No entanto, a Casa Branca rejeitou essas alegações, esclarecendo que Trump não havia ordenado a redução da presença militar dos EUA no Afeganistão.

Atualmente, há cerca de 14 mil soldados norte-americanos no Afeganistão, além de cerca de 16 mil militares da OTAN e dos países aliados. As forças estão envolvidas em missões de treinamento e suporte das Forças Armadas afegãs.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas