Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

EUA vão pôr fim a operações militares que não recebem apoio suficiente de outros países

O presidente americano, Donald Trump, afirma que os Estados Unidos pretendem pôr fim às operações militares para as quais não recebem suficiente assistência financeira e militar de outros países desenvolvidos.


Sputnik

O mandatário estadunidense anunciou esses planos através de uma postagem na sua conta do Twitter.


Militares americanos e rebeldes do Maghaweer al-Thawra, apoiado pelos EUA, em Al Tanf, no sul da Síria
Mlitares dos EUA ao lado de terroristas na Síria © AP Photo / Hammurabi's Justice News

"As guerras sem fim, especialmente aquelas travadas devido a decisões erradas tomadas há muitos anos, e aquelas em que não recebemos suficiente assistência financeira ou militar por parte dos países ricos que se beneficiam bastante do que fazemos, terminarão finalmente"

Em 19 de dezembro, o presidente dos EUA, Donald Trump, declarou a vitória sobre o Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia e em outros países) na Síria e anunciou a retirada de cerca de 2 mil soldados atualmente deslocados naquele país.

Desde 2014, os Estados Unidos e seus aliados realizam uma operação contra o Daesh no Iraque e na Síria. No entanto, na Síria suas tropas operam sem permissão das autoridades do país, que consideram tais ações como ocupação. Os militares americanos no país, junto com as Forças Democráticas da Síria, controlam territórios no leste e no nordeste, ricos em recursos naturais.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas