Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

F-16 do deserto: Indonésia modernizou 24 caças por US$ 670 milhões

A Força Aérea da Indonésia (Tentara Nasional Indonesia – Angkatan Udara, TNI-AU) ganhou, em janeiro de 2012, 30 caças F-16 que estavam armazenados no AMARG, nos EUA.


Poder Aéreo

Destes, 24 aviões foram depois atualizados do Bloco 25 para o padrão Bloco 52 pela Força Aérea dos EUA (USAF) no Complexo Logístico de Ogden (Base Aérea de Hill, Utah).

F-16 Fighting Falcon da Indonésia | Reprodução

As aeronaves F-16 envolvidas foram originalmente voadas pelas unidades da Força Aérea dos EUA e da Guarda Aérea Nacional, mas foram desativadas e armazenadas por vários anos no 309th Aerospace Maintenance and Regeneration Group (AMARG) na Davis-Monthan AFB, no deserto do Arizona.

Os 30 caças F-16C/D estocados no deserto foram recebidos sem custo, sendo que seis deles foram canibalizados para gerar peças sobressalentes.

O governo indonésio pagou US$ 670 milhões para modernizar 24 jatos com novos aviônicos, motores, asas, trem de pouso e outros componentes.

A mídia local relatou que a reforma incluiu extensão da vida útil, como a revisão das asas, trem de pouso e motores, bem como melhorias de capacidade de aviônicos. Estes incluem um radar AN/APG-68 atualizado (V), enlace de dados no padrão Link 16, sistema de guerra eletrônica AN/ALQ-213, RWR (alerta radar) ALR-69 Classe IV e contramedidas ALE-47.

As três primeiras aeronaves modernizadas foram recebidas em 25 de julho de 2014.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas