Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

F-35 continua com sérios problemas e desaponta até mesmo o Pentágono, aponta relatório

O relatório emitido pelo Pentágono e divulgado pelo portal Bloomberg News aponta que o caça mais caro da história dos EUA continua desapontando pelos seus sérios problemas.


Sputnik

O documento também indica que o caça possui baixa confiabilidade e está longe de alcançar a grande expectativa que foi criada em seu torno, já que a aeronave não consegue reverter sua imagem negativa, tanto durante missões de treinamento quanto em missões de combate.


F-35 da Força Aérea da Noruega
CC BY 2.0 / Forsvarsdepartementet / Caça F-35

O relatório divulgado por Tony Capaccio do portal Bloomberg News lista alguns problemas em torno do caça F-35, ressaltando os mais relevantes deles.

Começando pelo tempo operacional das versões do F-35B adotados pelo Corpo de Fuzileiros dos EUA pode chegar a apenas 2.100 horas, algo muito baixo em comparação ao tempo estimado inicialmente de 8.000 horas.

Um dos pontos mais importantes e que deve ser analisado cuidadosamente está ligado diretamente com a Manutenção e confiabilidade, contudo, a aeronave não consegue alcançar seus objetivos devido aos longos prazos e atrasos, prejudicando sua disponibilidade e elevando as dificuldades em torno do caça.

Além disso, o teste de cibersegurança indicou que diversas vulnerabilidades reveladas nos anos anteriores ainda não foram resolvidas, algo muito preocupante nos dias de hoje.

Outro fator que foi constatado durante o teste dos sistemas de armas de ataque ao solo da Força Aérea dos EUA classificou a precisão do caça como "inaceitável".

Vale observar que o novo relatório surgiu um dia depois que o secretário de Defesa, Patrick Shanahan, anunciou que o F-35 "tem muitas oportunidades para melhorar seu desempenho", referindo-se aparentemente às deficiências da aeronave.

Perante as críticas recebidas, a Lockheed Martin, fabricante do F-35, garantiu que o Pentágono não reduziria sua aquisição dos jatos F-35, mesmo com tantas críticas.

Com relação aos altos custos do F-35, é possível citar que a versão mais em conta do jato é vendida por US$ 90 milhões (R$ 335 milhões) por unidade.

Comentários

Postagens mais visitadas