Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Força Aérea do Irã se diz preparada para eliminar Israel

O comandante da Força Aérea do Irã, o general Aziz Nasirzadeh, afirmou nesta segunda-feira que seus soldados estão preparados para "eliminar da Terra" Israel, horas depois de alvos iranianos terem sido bombardeados na Síria pelo exército israelense.


EFE

Teerã - "Os jovens da Força Aérea estão impacientes e preparados para lutar contra o regime sionista (Israel) e eliminá-lo da Terra", disse Nasirzadeh, citado pela agência de notícias iraniana "Clube de Jovens Jornalistas".


EFE/Abedin Taherkenareh
EFE/Abedin Taherkenareh

O general ressaltou que as novas gerações estão recebendo "a educação necessária para o dia prometido e a eliminação de Israel".

Neste sentido, Nasirzadeh explicou que estão tentando ser "autossuficientes" e que as forças estão sendo capacitadas no campo da assistência de voo e treino de pilotos, e de guerra eletrônica e cibernética.

A Força Área iraniana também desenvolve "o longo alcance das munições" e atualmente está trabalhando na sua capacidade de "destruir alvos" a mais de mil quilômetros de distância, disse.

"Garantimos ao povo do Irã que estamos preparados para responder qualquer ameaça e que o inimigo não se atreverá a invadir o nosso país porque conhece a nossa preparação e alta capacidade", acrescentou.

Estas ameaças aconteceram depois que o exército israelense atacou na última noite alvos militares da Força Quds iraniana e baterias de defesa antiaérea na Síria, uma medida já tomada em várias ocasiões nos últimos anos.

O ataque ocorreu horas depois que um projétil foi interceptado nas Colinas de Golã ocupadas por Israel, que acusou o Irã deste disparo.

Segundo um porta-voz militar israelense, os pontos atacados foram "lugares de armazenamento de munição e um posto situado no aeroporto internacional de Damasco", assim como "um posto de inteligência e um campo militar de treino" iranianos.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos informou que pelo menos 11 pessoas morreram pelo ataque cometido por Israel em Damasco e outros pontos do sudoeste da Síria.

No último dia 17, o comandante-em-chefe dos Guardiões da Revolução Islâmica, o general Mohamad Ali Yafari, afirmou que o Irã manterá sua presença militar na Síria e advertiu a Israel que seu território está ao alcance dos mísseis iranianos.

O Irã é, junto à Rússia, o grande aliado do regime do presidente sírio, Bashar al Assad, a quem apoiou desde o início do conflito em 2011 com militares e milicianos xiitas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas