Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

General americano: EUA não têm como responder às armas hipersônicas russas e chinesas

Os sistemas hipersônicos desenvolvidos pela Rússia e China representam um perigo real para os EUA, escreve o major-general aposentado Howard Thompson em seu artigo publicado no The Hill.


Sputnik

Ele enfatiza que Washington precisa criar urgentemente um novo sistema de defesa antimíssil confiável contra essas armas.


A velocidade máxima do míssil Avangard, dotado de um corpo de titânio resistente às altas temperaturas, supera 20 vezes a velocidade do som
Lançamento do míssil russo Avangard © Sputnik / Ministério da Defesa da Federação da Rússia

Segundo Thompson, a Rússia e a China estão na vanguarda do desenvolvimento de armas hipersônicas e, por isso, já têm uma ampla vantagem. Ele argumenta que Washington está muito atrás de Moscou e Pequim nessa área. O míssil hipersônico russo Avangard, cuja velocidade chegaria a Mach 27, passou por um teste bem-sucedido em dezembro e, segundo as autoridades, o sistema está em linha de produção e poderá entrar em serviço em breve.

Os chineses são ainda mais enérgicos em sua busca de armas hipersônicas. Segundo o Pentágono, no ano passado a China realizou mais testes nessa área do que os EUA nos últimos dez anos, tendo atingido a prontidão inicial de seus sistemas, observa o general.

"Por sua vez, os Estados Unidos atualmente não possuem essas capacidades. A dura realidade é que nossos atuais sistemas de defesa antimíssil, assim como nossa mentalidade operacional, são simplesmente incapazes de resistir a essa ameaça", elucida Thompson.

Em sua opinião, muitos no Congresso não entendem que o sistema hipersônico foi criado especificamente para aproveitar as brechas do sistema antimíssil norte-americano. Enquanto a rota dos mísseis balísticos é previsível, a deslocação do Avangard, dada a sua maior manobrabilidade, é impossível de prever. Como resultado, tais sistemas norte-americanos como Patriot e THAAD tornam-se ineficazes, explica o general.

Thompson ressalta que os alvos potenciais podem ser não apenas as instalações militares no território dos EUA, mas também seus grupos aeronavais em mar aberto. Ele acrescenta que é necessário criar do zero uma "família de sistemas" extremamente poderosa sem cometer nenhum erro, levando em consideração a gravidade da ameaça.

"A China e a Rússia nos convenceram de que depender de soluções temporárias e criar um sistema de defesa antimíssil da maneira que sempre fizemos – por etapas e/ou de forma isolada – não é mais aceitável", conclui Thompson.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas