Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares revelam como suas vidas foram destruídas pelo Exército dos EUA

O Twitter oficial do Exército dos EUA realizou uma pesquisa para averiguar como o serviço impactou a vida de seus militares.
Sputnik

Atualmente, mais de 9.000 pessoas já compartilharam suas opiniões. Apesar de constatarem que o serviço no Exército fortalece fisicamente e emocionalmente as pessoas, dando algum sentido às suas vidas e abrindo perspectivas profissionais, há muitos outros comentários com declarações céticas e críticas sobre a influência do Exército dos EUA no mundo, no país e na sua vida pessoal.

Várias pessoas compartilharam histórias de seus familiares que cometeram suicídio, sofreram de transtorno por estresse pós-traumático, passaram por mudanças radicais de caráter e comportamento ou deixaram de ser saudáveis depois de participarem em ações militares dos EUA.

Além disso, há aqueles cujos familiares ou eles próprios foram abusados durante o serviço.

Outros usuários recordaram que os horrores da guerra deixam cicatrizes na mente.

Diversos outros usuários da rede social compa…

Irã planeja modernizar suas lanchas com tecnologia furtiva

O Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Irã (CGRI) anunciou sua intenção de melhorar suas lanchas rápidas no golfo Pérsico, dotá-las com tecnologia furtiva para evitar radares e equipá-las com novos lançadores de mísseis em meio às tensões criadas devido à chegada de um porta-aviões nuclear norte-americano.


Sputnik

"Estamos nos dedicando a aumentar a agilidade das lanchas rápidas do CGRI e equipá-las com tecnologia furtiva para facilitar suas operações", disse o chefe da Marinha do CGRI, Alireza Tangsiri, citado pela agência de notícias IRNA.


Lanchas rápidas do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Irã escoltam o porta-aviões USS John C. Stennis (CVN-74) dos EUA enquanto navega ao golfo Pérsico através do estreito de Ormuz, 21 de dezembro de 2018
Lanchas rápidas iranianas © REUTERS / HAMAD I MOHAMMED

Além disso, ele acrescentou que as lanchas serão equipadas com novos mísseis e sua velocidade atingirá 80 nós. No entanto, Tangsiri não especificou se a República Islâmica já domina essas tecnologias, relata a Reuters.

Em meados de dezembro, um grupo aeronaval da Marinha dos EUA, liderado pelo porta-aviões nuclear USS John C. Stennis, entrou no golfo Pérsico. Sua chegada foi precedida por alertas emitidos pelo Irã, que ameaçou bloquear o estreito de Ormuz — o único porto marítimo de escoamento do golfo Pérsico e um corredor para um terço das exportações mundiais de petróleo.

Segundo o major-general Mohammad Ali Jafari, a presença das forças norte-americanas no golfo Pérsico visa "enganar os estados regionais e fingir que eles estabelecem segurança para esses países".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas