Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA entregam armas modernas a forças curdas da Síria, escreve mídia

Os opositores americanos da retirada das tropas dos EUA da Síria entregaram armas modernas às Unidades de Proteção Popular (YPG), escreveu o jornal turco Yeni Akit, citando fontes locais.
Sputnik

A edição destaca que o fornecimento é referente a um grande número de modernos sistemas de mísseis antitanque Javelin e Tow. Supõe-se que os curdos usem essas armas contra tanques turcos, que logo entrarão em Manbij, no norte da Síria.


Segundo a publicação, as forças especiais turcas estão no momento realizando buscas por esses complexos nesta cidade e, devido a isso, a Turquia está atrasando sua operação militar na referida cidade.

Anteriormente, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan havia anunciado que, se os EUA não se retirarem da Síria, Ancara estaria pronta para lançar uma operação no leste do Eufrates, assim como em Manbij, contra as forças de autodefesa dos curdos sírios.

Em meados de dezembro de 2018, o líder americano, Donald Trump, declarou a vitória sobre o grupo de militantes Daesh …

Londres diz que Assad se manterá no poder na Síria durante "algum tempo"

O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Jeremy Hunt, afirmou nesta quinta-feira que o governo britânico acredita que o presidente da Síria, Bashar al Assad, se manterá no poder durante "algum tempo" graças ao apoio da Rússia.


EFE

Londres - "A posição que o Reino Unido mantém é que não conseguiremos uma paz duradoura na Síria com esse regime. No entanto, infelizmente, acreditamos que (Assad) vai estar lá durante algum tempo devido ao apoio que teve da Rússia", disse Hunt em entrevista com a emissora de televisão "Sky News".


O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Jeremy Hunt. EFE/ Wallace Woon
O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Jeremy Hunt. EFE/ Wallace Woon

O chefe da diplomacia britânica também disse que Moscou ganhou maior peso político na região com a consolidação do regime sírio.

"A Rússia pode pensar que ganhou uma esfera de influência. O que nós lhes diríamos é: Sim, mas também adquiriu uma responsabilidade", indicou Hunt.

"Se vai estar envolvido na Síria, então deveria assegurar que realmente há paz no país, e isso significa garantir que o presidente Al Assad não utilize armas químicas contra seu próprio povo", acrescentou.

O ministro britânico afirmou que o destino de dois supostos membros do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) que tinham nacionalidade britânica e estão detidos pelas forças curdas deve ser resolvido este ano.

Ambos são suspeitos de fazer parte de um grupo conhecido como "The Beatles", pelo seu sotaque britânico, e são acusados de assassinar vários cidadãos do Reino Unido e dos Estados Unidos.

Existe a preocupação quanto à possibilidade que uma retirada das tropas americanas, aliadas dos curdos, levar à libertação de alguns membros do EI que estão detidos.

"Esse é um dos problemas que vão ter que ser resolvidos durante este ano", indicou Hunt, que não descartou a possibilidade de esses dois detidos, que tiveram a cidadania britânica retirada, sejam transferidos ao Reino Unido para serem julgados.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas