Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Marinha dos EUA recebe novo navio de guerra polivalente

O segundo destróier da classe Zumwalt, USS Michael Monsoor (DDG-1001), foi adotado em serviço da Marinha dos EUA neste sábado (26), segundo um comunicado das forças navais.


Sputnik

A cerimônia foi realizada em San Diego, no estado da Califórnia. A tripulação será composta por 148 oficiais e marinheiros.


USS Michael Monsoor, segundo navio de guerra norte-americano da classe Zumwalt
USS Michael Monsoor DDG-1001 © AP Photo / Robert F. Bukaty

"O USS Michael Monsoor é um dos meios de combate mais capazes que a nossa nação pode oferecer. Este navio proporcionará uma presença e dissuasão avançada independente para as próximas décadas e estou confiante que a tripulação operará este navio com o nível de conhecimentos, coragem e força necessários para superar qualquer desafio", declarou o secretário da Marinha dos EUA, Richard Spencer.

O primeiro destróier da classe Zumwalt foi lançado à água em outubro de 2013.

Esse navio de guerra polivalente se destina tanto a confrontar forças terrestres do inimigo, como a fornecer apoio de fogo a partir do mar e a combater a aviação. Devido à ampla automatização, a tripulação terá apenas cerca de 140 efetivos, muito menos que os navios anteriores de classes semelhantes.

O custo do primeiro destróier foi de USD$ 4,4 bilhões (R$ 16,5 bilhões). Devido aos grandes gastos, o programa de construção foi reduzido de 32 a três navios.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas