Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Diretor de Projetos da Marinha do Brasil diz que Programa Tamandaré não será afetado por cortes no orçamento

Convidado para falar a empresários catarinenses durante a reunião do Comitê da Indústria da Defesa (Comdefesa), da Fiesc, o vice-almirante Petronio Augusto Siqueira de Aguiar, diretor de Projetos da Marinha do Brasil, garantiu na manhã desta quinta-feira que o bloqueio de verbas do governo federal não vai afetar o andamento do projeto de construção de quatro navios da Marinha em Itajaí.
Poder Naval

Ele confirmou que o recurso previsto para a empreitada, de R$ 2,5 bilhões, está contingenciado – mas acredita que isso será revertido no segundo semestre. – Esse projeto não tem volta. O Brasil e a Marinha precisam modernizar a frota – afirmou.

A Marinha foi a principal atingida pelo bloqueio de verbas no setor de Defesa, que soma R$ 13 bilhões. O recurso para as corvetas está com a Emgepron, empresa de projetos da Marinha que negocia os termos do contrato com o consórcio Águas Azuis, vencedor da concorrência pública para construção das embarcações.

O grupo tem entre as consorciadas a alemã Thys…

Mídia revela segredo principal sobre invulnerabilidade do drone submarino russo Poseidon

O ataque do novo drone submarino russo Poseidon, que já está passando por testes, será impossível de repelir devido às peculiaridades de sua manobrabilidade.


Sputnik

O jornal russo Izvestia enfatiza que a caminho de seu alvo o Poseidon manobrará continuamente. Considerando a velocidade e a profundidade, será impossível para o inimigo repeli-lo.


Imagem do novo drone submarino russo mostrada durante a mensagem anual de Vladimir Putin à Assembleia Federal Rússia
Drone submarino russo Poseidon © Foto : Ministério da Defesa da Rússia

Ao comparar o novo drone com outras amas russas, o jornal indica que o míssil russo hipersônico Avangard também pode mudar sua direção e altitude de voo, tornando sua trajetória imprevisível e praticamente impossível de interceptar.

No entanto, embora o drone subaquático nuclear russo Poseidon seja muito mais lento que o Avangard — sua velocidade máxima será de cerca de 200 quilômetros por hora — ele supera significativamente as capacidades dos modernos submarinos que navegam à velocidade de 60 quilômetros por hora.

A alta velocidade do Poseidon é possível devido a uma cavidade com vapor de água que se forma durante o movimento, o que reduz a resistência da água.

O Poseidon já está passando por seus primeiros testes. É capaz de se mover a uma profundidade de 1.000 metros, ou seja, além do alcance dos sonares a bordo dos navios.

Ele tem um reator nuclear para impulsioná-lo e espera-se que seja equipado com uma ogiva termonuclear de 2 megatons. Está previsto que a Marinha russa o deva receber até ao fim do programa estatal de defesa aprovado para até 2027.

Mais cedo, a mídia ocidental avaliou as possíveis consequências do uso de drone subaquático nuclear russo Poseidon, destacando que suas capacidades de combate causam "preocupações genuínas" aos especialistas americanos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas