Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Netanyahu: Israel reconhece Guaidó como novo líder da Venezuela

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, declarou que reconhece o chefe do parlamento Juan Guaidó como novo líder da Venezuela.


Sputnik

"Israel se junta aos Estados Unidos, Canadá, à maior parte dos países da América Latina e à Europa no reconhecimento da nova liderança da Venezuela", disse o chefe do governo em uma mensagem em vídeo.


Primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, na reunião semanal de gabinete em Jerusalém, 16 de setembro de 2018
Benjamin Netanyahu © AP Photo / Sebastian Scheiner

Na quarta-feira (23), começaram os protestos em massa contra o atual presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em Caracas. No mesmo dia, o chefe do parlamento do país, Juan Guaidó, se autoproclamou chefe de Estado interino durante a vigência de um governo provisório.

Os EUA e vários outros países declararam o reconhecimento de Guaidó e exigiram que o presidente venezuelano Maduro, cuja eleição consideram ilegal, não permita ações violentas contra a oposição.

A Rússia apoiou Maduro como o legítimo presidente da Venezuela e demonstrou sua disposição de se tornar mediadora no estabelecimento de relações entre as autoridades e a oposição na Venezuela, se tais esforços forem considerados necessários.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas