Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Diretor de Projetos da Marinha do Brasil diz que Programa Tamandaré não será afetado por cortes no orçamento

Convidado para falar a empresários catarinenses durante a reunião do Comitê da Indústria da Defesa (Comdefesa), da Fiesc, o vice-almirante Petronio Augusto Siqueira de Aguiar, diretor de Projetos da Marinha do Brasil, garantiu na manhã desta quinta-feira que o bloqueio de verbas do governo federal não vai afetar o andamento do projeto de construção de quatro navios da Marinha em Itajaí.
Poder Naval

Ele confirmou que o recurso previsto para a empreitada, de R$ 2,5 bilhões, está contingenciado – mas acredita que isso será revertido no segundo semestre. – Esse projeto não tem volta. O Brasil e a Marinha precisam modernizar a frota – afirmou.

A Marinha foi a principal atingida pelo bloqueio de verbas no setor de Defesa, que soma R$ 13 bilhões. O recurso para as corvetas está com a Emgepron, empresa de projetos da Marinha que negocia os termos do contrato com o consórcio Águas Azuis, vencedor da concorrência pública para construção das embarcações.

O grupo tem entre as consorciadas a alemã Thys…

Relatos: Japão planeja criar aviões de ataque para guerra eletrônica

As autoridades japonesas planejam criar aviões de ataque para danificar radares e sistemas de comunicação dos adversários, informou o jornal japonês Yomiuri.


Sputnik

Segundo fontes citadas pelo Yomiuri, o equipamento necessário será instalado em aviões de transporte e de patrulha que já são usados pela Força Aérea e pela Marinha do país.


Avião de patrulha marítima japonês P-1
CC BY-SA 2.0 / tataquax / NAF Atsugi 2016 Spring Festival

"Planeja-se que o modelo com base no avião C-2 [Kawasaki C-2, avião de transporte militar japonês] entrará em serviço no ano fiscal de 2027. Os planos de desenvolvimento do modelo com base no P-1 [avião de patrulha marítima japonês] estão em andamento", revelou a edição.

O motivo principal para a criação do equipamento de ataque é enfrentar as capacidades crescentes de guerra eletrônica da Rússia e da China, informou o jornal.

O Yomiuri sublinha que o Japão já dispõe de meios de guerra eletrônica que têm caráter defensivo. Um deles é o sistema de neutralização dos sistemas de guiamento de mísseis balísticos já disparados pelo adversário.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas