Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA entregam armas modernas a forças curdas da Síria, escreve mídia

Os opositores americanos da retirada das tropas dos EUA da Síria entregaram armas modernas às Unidades de Proteção Popular (YPG), escreveu o jornal turco Yeni Akit, citando fontes locais.
Sputnik

A edição destaca que o fornecimento é referente a um grande número de modernos sistemas de mísseis antitanque Javelin e Tow. Supõe-se que os curdos usem essas armas contra tanques turcos, que logo entrarão em Manbij, no norte da Síria.


Segundo a publicação, as forças especiais turcas estão no momento realizando buscas por esses complexos nesta cidade e, devido a isso, a Turquia está atrasando sua operação militar na referida cidade.

Anteriormente, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan havia anunciado que, se os EUA não se retirarem da Síria, Ancara estaria pronta para lançar uma operação no leste do Eufrates, assim como em Manbij, contra as forças de autodefesa dos curdos sírios.

Em meados de dezembro de 2018, o líder americano, Donald Trump, declarou a vitória sobre o grupo de militantes Daesh …

Rússia patrulha ações americanas após entrada de navio dos EUA no mar Negro

O Ministério da Defesa da Rússia informou nessa segunda-feira (7) que o navio-patrulha Pytlivy, da Frota do Mar Negro, está monitorando as ações do navio de desembarque USS Fort McHenry que entrou nas águas do mar Negro no dia 6 de janeiro.


Sputnik

"O navio-patrulha Pytlivy, da Frota do Mar Negro da Rússia, está realizando um complexo de atividades para controlar as ações do navio de assalto anfíbio USS Fort McHenry", afirmou o ministério em comunicado.


Navio USS Fort McHenry dos EUA (foto de arquivo)
USS Fort McHenry © Foto: Public Domain / U.S. Navy

O comunicado observou que o navio estava no mar Negro no domingo desde as 21h do horário de Moscou (16h do horário de Brasília).

"A partir das 9h30 [4h30 de Brasília], o navio entrou no porto romeno de Constanta", acrescentou o ministério.

A vice-almirante Lisa M. Franchetti, comandante da 6ª Frota, declarou em comunicado que a chegada do navio de guerra ao mar "reafirma a nossa determinação coletiva para a segurança do mar Negro e reforça nossas fortes relações com nossos aliados e parceiros da OTAN na região".

Anteriormente, o representante especial dos EUA para a Ucrânia, Kurt Volker, disse que Washington deveria considerar a possibilidade de aumentar presença no mar Negro.

As tensões aumentaram no mar Negro principalmente após a violação, no dia 25 de novembro, das águas territoriais russas por três navios ucranianos, que foram detidos junto com 24 tripulantes. Após o incidente, um processo criminal sobre a passagem fronteiriça ilegal foi aberto pela Rússia. Moscou também considera que a presença dos navios dos EUA e da OTAN no mar Negro sirva apenas para aumentar as tensões e colocar a Europa em risco de um conflito militar.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas