Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Talibã e EUA chegam a um acordo que pode acabar com guerra que já dura 17 anos

Representantes do Talibã e autoridades dos EUA finalizaram uma proposta de acordo que colocaria fim à guerra do Afeganistão que já dura 17 anos no país, informou a Reuters no sábado.


Sputnik

De acordo com a fonte ouvida pela agência, o acordo inclui garantias de que a Al-Qaeda e o Daesh (autodenominado Estado Islâmico) não serão poderão usar o Afeganistão como base para práticas de terrorismo. Além disso, o acordo pede que as forças militares estrangeiras presentes no país se retirem dentro de 18 meses.


Um membro do grupo insurgente Talibã
Terrorista Talibã © REUTERS / Stringer

Após as negociações, espera-se que o enviado especial da paz dos EUA, Zalmay Khalilzad, informe o presidente Ashraf Ghani em Cabul sobre o progresso alcançado. A embaixada dos EUA em Cabul ainda não confirmou a notícia.

Em 25 de janeiro, o The New York Times informou que os EUA e o Talibã estavam se aproximando de um acordo que prevê a retirada das tropas americanas do Afeganistão em troca da promessa dos insurgentes de impedir que organizações terroristas como a al-Qaeda se infiltrassem no país.

O Talibã, grupo insurgente islâmico, tomou o poder no Afeganistão em 1996. Os Estados Unidos enviaram suas tropas ao país em 2001 para combater a al-Qaeda em retaliação aos ataques de 11 de setembro, argumentando que o país se tornou um refúgio seguro para os ataques terroristas promovidos pela rede terrorista enquanto os insurgentes estavam no poder. As tropas dos EUA acabaram por derrubar os islamitas.

Embora a maioria das tropas dos EUA tenha sido retirada do Afeganistão até o final de 2014, Washington continua apoiando as forças armadas afegãs no combate ao terrorismo.

Comentários

Postagens mais visitadas