Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Turquia denuncia "tentativa de golpe" na Venezuela

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta sexta-feira que uma tentativa de golpe está acontecendo na Venezuela e advertiu que Ancara jamais ficará ao lado dos "golpistas".


EFE

Istambul - "Onde quer que haja um golpe militar, estaremos contra. No Egito, deram um golpe contra Mursi e estivemos contra. Hoje, há uma tentativa de golpe na Venezuela. Jamais estaremos ao lado daqueles que organizam golpes. Nós respeitamos os votos na democracia", declarou Erdogan.


Protesto em Caracas em foto de 23 de janeiro. EFE/Cristian Hernández
Protesto em Caracas em foto de 23 de janeiro. EFE/Cristian Hernández

O presidente turco já havia mostrado apoio ontem ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e criticou o fato do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter reconhecido o presidente do parlamento venezuelano, Juan Guaidó, como chefe de Estado interino do país.

O líder turco disse ontem que conversou por telefone com Maduro para lhe manifestar pessoalmente o seu apoio e aconselhá-lo, para que não "cedesse a eventos não democráticos".

Por sua vez, o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlüt Çavusoglu, advertiu que apoiar Guaidó poderia provocar o "caos na Venezuela" e o isolamento do país.

Assim, a Turquia se posiciona contra Juan Guaidó, que se autodeclarou presidente interino do país ao não reconhecer o segundo mandato de Maduro, iniciado há duas semanas.

O país eurasiático é um grande fornecedor de alimentos e outros bens para a Venezuela e, além disso, começou a refinar e certificar o ouro venezuelano.

Os dois países anunciaram no ano passado projetos de cooperação para a exploração de carvão e ouro.

Caracas e Ancara também negociam investimentos turcos na indústria petrolífera da Venezuela, o país com as maiores reservas petrolíferas do planeta.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas