Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Turquia denuncia "tentativa de golpe" na Venezuela

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta sexta-feira que uma tentativa de golpe está acontecendo na Venezuela e advertiu que Ancara jamais ficará ao lado dos "golpistas".


EFE

Istambul - "Onde quer que haja um golpe militar, estaremos contra. No Egito, deram um golpe contra Mursi e estivemos contra. Hoje, há uma tentativa de golpe na Venezuela. Jamais estaremos ao lado daqueles que organizam golpes. Nós respeitamos os votos na democracia", declarou Erdogan.


Protesto em Caracas em foto de 23 de janeiro. EFE/Cristian Hernández
Protesto em Caracas em foto de 23 de janeiro. EFE/Cristian Hernández

O presidente turco já havia mostrado apoio ontem ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e criticou o fato do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter reconhecido o presidente do parlamento venezuelano, Juan Guaidó, como chefe de Estado interino do país.

O líder turco disse ontem que conversou por telefone com Maduro para lhe manifestar pessoalmente o seu apoio e aconselhá-lo, para que não "cedesse a eventos não democráticos".

Por sua vez, o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlüt Çavusoglu, advertiu que apoiar Guaidó poderia provocar o "caos na Venezuela" e o isolamento do país.

Assim, a Turquia se posiciona contra Juan Guaidó, que se autodeclarou presidente interino do país ao não reconhecer o segundo mandato de Maduro, iniciado há duas semanas.

O país eurasiático é um grande fornecedor de alimentos e outros bens para a Venezuela e, além disso, começou a refinar e certificar o ouro venezuelano.

Os dois países anunciaram no ano passado projetos de cooperação para a exploração de carvão e ouro.

Caracas e Ancara também negociam investimentos turcos na indústria petrolífera da Venezuela, o país com as maiores reservas petrolíferas do planeta.

Comentários

Postagens mais visitadas