Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Fuzileiros Navais do Brasil e dos EUA ratificam acordo de cooperação

Diálogo conversou com o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil (MB) Nélio de Almeida para conhecer detalhes dessa parceria
Por Marcos Ommati | Diálogo Américas | Poder Naval

Criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento combinado entre os Fuzileiros Navais do Brasil e dos Estados Unidos. Este é o objetivo principal de um plano de cinco anos ratificado em fevereiro de 2019 entre os representantes de ambas as forças, o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil Nélio de Almeida, comandante do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil e presidente nacional da Associação de Veteranos desta força, e o Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais Sul dos EUA (MARFORSOUTH, em inglês). O C Alte Nélio recebeu Diálogo em seu escritório na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, para dar detalhes do acordo e conversar sobre outros temas de interesse das marinhas do Brasil e de outros países da região e dos E…

Villas Bôas deixa o comando do Exército com fama de conciliador

Comandante do Exército nos últimos 4 anos até esta sexta-feira (11), o general Eduardo Villas Bôas deixou a liderança da caserna com prestígio incomum, não só interno, mas também externo, e descrito como um conciliador em tempos de crises.


Por Matheus Leitão | G1

Exaltado pela forma como comandou o Exército durante o período de instabilidade política que levou ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, Villas Bôas tem sido homenageado constantemente por autoridades públicas.

Bolsonaro cumprimentou o ex-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas nesta sexta-feira (11), na cerimônia de troca do comando — Foto: Marcos Corrêa/PR
Bolsonaro cumprimentou o ex-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas nesta sexta-feira (11), na cerimônia de troca do comando — Foto: Marcos Corrêa/PR

Ao blog, o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot o avaliou como um “guardião da democracia”, referindo-se ao momento em que uma ala do Exército que desejava mais “participação política” das Forças Armadas acabou sendo coibida por Villas Boas.

Durante a crise mais turbulenta do governo Michel Temer, quando da revelação dos grampos da JBS envolvendo o próprio presidente, Villas Bôas declarou nas redes sociais: “A Constituição Federal brasileira há de ser sempre solução a todos os desafios institucionais do país. Não há atalhos fora dela!”.

Delegados da Polícia Federal avaliam internamente que Villas Bôas manteve o perfil de pacificador, com consenso e o diálogo, em momentos de dificuldade e embate político.

Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, durante a transmissão do cargo do ministro da Defesa, que Villas Bôas foi um dos responsáveis por ele estar à frente do país.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas