Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA entregam armas modernas a forças curdas da Síria, escreve mídia

Os opositores americanos da retirada das tropas dos EUA da Síria entregaram armas modernas às Unidades de Proteção Popular (YPG), escreveu o jornal turco Yeni Akit, citando fontes locais.
Sputnik

A edição destaca que o fornecimento é referente a um grande número de modernos sistemas de mísseis antitanque Javelin e Tow. Supõe-se que os curdos usem essas armas contra tanques turcos, que logo entrarão em Manbij, no norte da Síria.


Segundo a publicação, as forças especiais turcas estão no momento realizando buscas por esses complexos nesta cidade e, devido a isso, a Turquia está atrasando sua operação militar na referida cidade.

Anteriormente, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan havia anunciado que, se os EUA não se retirarem da Síria, Ancara estaria pronta para lançar uma operação no leste do Eufrates, assim como em Manbij, contra as forças de autodefesa dos curdos sírios.

Em meados de dezembro de 2018, o líder americano, Donald Trump, declarou a vitória sobre o grupo de militantes Daesh …

Villas Bôas deixa o comando do Exército com fama de conciliador

Comandante do Exército nos últimos 4 anos até esta sexta-feira (11), o general Eduardo Villas Bôas deixou a liderança da caserna com prestígio incomum, não só interno, mas também externo, e descrito como um conciliador em tempos de crises.


Por Matheus Leitão | G1

Exaltado pela forma como comandou o Exército durante o período de instabilidade política que levou ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, Villas Bôas tem sido homenageado constantemente por autoridades públicas.

Bolsonaro cumprimentou o ex-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas nesta sexta-feira (11), na cerimônia de troca do comando — Foto: Marcos Corrêa/PR
Bolsonaro cumprimentou o ex-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas nesta sexta-feira (11), na cerimônia de troca do comando — Foto: Marcos Corrêa/PR

Ao blog, o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot o avaliou como um “guardião da democracia”, referindo-se ao momento em que uma ala do Exército que desejava mais “participação política” das Forças Armadas acabou sendo coibida por Villas Boas.

Durante a crise mais turbulenta do governo Michel Temer, quando da revelação dos grampos da JBS envolvendo o próprio presidente, Villas Bôas declarou nas redes sociais: “A Constituição Federal brasileira há de ser sempre solução a todos os desafios institucionais do país. Não há atalhos fora dela!”.

Delegados da Polícia Federal avaliam internamente que Villas Bôas manteve o perfil de pacificador, com consenso e o diálogo, em momentos de dificuldade e embate político.

Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, durante a transmissão do cargo do ministro da Defesa, que Villas Bôas foi um dos responsáveis por ele estar à frente do país.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas