Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Alemanha força MBDA a interromper o fornecimento de mísseis Meteor à Arábia Saudita

A Alemanha forçou a empresa de fabricação de mísseis europeia MBDA a parar de exportar mísseis Meteor para a Arábia Saudita por causa da liderança do reino na Coalizão saudita-UAE no Iêmen.


Poder Aéreo

A objeção da Alemanha à exportação deste tipo de mísseis para Riad foi recebida com a insatisfação de Paris e Londres, onde a empresa europeia especializada na fabricação de mísseis se baseia, uma vez que muitos países europeus estão igualmente envolvidos.

Míssil MBDA Meteor Beyond-Visual Range (BVR)

Este movimento levou movimentos políticos na Alemanha a exigir a imposição de medidas apertadas em programas conjuntos de fabricação de armas com a França, em termos de exportações.

Em 2014, Riad assinou um acordo com o lado europeu para comprar mísseis ar-ar Meteor, no valor de US$ 1 bilhão. A Arábia Saudita quer armar os jatos de combate Typhoon Europeus que comprará com esses mísseis.

O jornal La Tribune informou que a empresa europeia se recusou a comentar sobre a objeção de Berlim à exportação de armas para a Arábia Saudita. Este tipo de míssil tem sido usado em caças Typhoon desde dezembro passado. Foi projetado para destruir e neutralizar alvos aéreos localizados a longas distâncias.

O La Tribune destacou que o lado francês envolvido na fabricação do míssil Meteor procura produzir componentes alternativos aos componentes que a Alemanha fabrica no âmbito da cooperação militar entre seis países europeus. Berlim produz motores dos mísseis e seu material explosivo.

O jornal acrescentou que o míssil Meteor é destinado a armar as forças da Grã-Bretanha, Alemanha, Itália, Espanha, Suécia e França. A filial britânica da MBDA está supervisionando o projeto Meteor em cooperação com as subsidiárias da empresa nos países envolvidos. O míssil foi projetado para operar com o caça francês Rafale, o Eurofighter Typhoon e o sueco JAS 39 Gripen. O ex-comissário de armas da França, Laurent Collette Bellon, disse que sem os mísseis Meteor, seria difícil exportar aviões Rafale.

A revista alemã Der Spiegel informou em 21 de setembro que o embaixador alemão em Paris Nikolaus Meyer-Landrut havia enviado um telegrama aos funcionários em Berlim informando-os sobre os resultados de sua reunião com altos funcionários do Ministério da Defesa da França e do Secretariado Geral para Defesa e Segurança da França do Primeiro Ministro.

Na reunião, o lado francês pediu garantias de que os futuros produtos fabricados no âmbito da cooperação militar entre os dois países sejam exportados sem restrições; caso contrário, os programas de cooperação bilateral seriam inúteis. Por outro lado, a parte alemã vê que a posição rígida de Paris ameaça o desenvolvimento de tais programas.

A disputa franco-alemã a respeito de projetos de cooperação militar se repetiu na arena política alemã. O Partido Social-Democrata e os Verdes (Partido Verde) exigiram restrições rigorosas aos programas de produção de armas conjuntas com a França, sobre exportações.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas