Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Bombas da Segunda Guerra fecham aeroporto em Roma por horas

Ciampino, segundo mais importante da capital italiana e utilizado por companhias de baixo custo, é fechado por três horas depois de explosivos serem encontrados na área de estacionamento de aeronaves.


Deutsch Welle

As autoridades italianas fecharam por algumas horas, nesta quinta-feira (07/02), o aeroporto Ciampino, em Roma, após três bombas da Segunda Guerra Mundial terem sido encontradas durante obras na área de estacionamento de aeronaves.


default
Especialistas militares desativaram as bombas, de fabricação alemã e com 75 quilos de explosivos

Especialistas do Exército foram chamados para desativar as bombas, de fabricação alemã, que pesavam 150 quilos e continham cerca de 75 quilos de explosivos, afirmou o Ministério da Defesa da Itália. Cerca de 750 pessoas foram retiradas do aeroporto.

O aeroporto foi fechado durante cerca de três horas para permitir a retirada dos artefatos e reabriu por volta das 17h30 (horário local). Os voos programados, tanto de chegada como de partida, sofreram atrasos ou foram transferidos para o aeroporto de Fiumicino, o principal da capital italiana.

O aeroporto de Ciampino é o segundo em importância de Roma e nele operam principalmente companhias de baixo custo. Em 2018, ele teve quase 6 milhões de passageiros, frente aos 42 milhões que passaram pelo de Fiumicino, o maior da cidade e situado no litoral romano.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas