Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Canadá barra jornalistas da Sputnik para reunião do Grupo de Lima sobre Venezuela

O Ministério das Relações Exteriores do Canadá negou o credenciamento de jornalistas da Sputnik e da RIA Novosti para o encontro do Grupo de Lima sobre a Venezuela, em Ottawa.


Sputnik

O porta-voz da chancelaria do Canadá, Richard Walker, explicou ao correspondente da Sputnik que o credenciamento foi negado alegando que a agência de notícias “não tem sido cordial” com a ministra das Relações Exteriores do país, Chrystia Freeland. 


Encontro do Grupo de Lima
© AP Photo / Martin Mejia

"Obrigado pelo interesse no 10° encontro ministerial do Grupo de Lima em Ottawa. Este e-mail é para que vocês saibam que NÃO foram credenciados como mídia", afirmou o MRE do Canadá em carta original, notificando os jornalistas sobre a recusa.

O Grupo de Lima é composto por 14 países-membros e foi criado em agosto de 2017 com o objetivo de promover reformas democráticas na Venezuela.

A maioria dos Estados-membros criticou o governo do presidente venezuelano em exercício, Nicolás Maduro, além de reconhecer o líder da oposição, Juan Guaidó, como o presidente interino do país.

No domingo (3), o canal de televisão venezuelano Telesur afirmou que teve acesso negado para o encontro ministerial do Grupo de Lima pelo governo canadense, que não forneceu qualquer satisfação relacionada à recusa.

A Venezuela está enfrentando diversos protestos contra o governo, tendo Guaidó se declarado presidente interino do país em 23 de janeiro.

O Canadá, assim como os EUA e o Brasil, reconheceram Guaidó como presidente da Venezuela no mesmo dia da autoproclamação. Enquanto que a Rússia, China e alguns outros países reconhecem Nicolás Maduro como o legítimo presidente bolivariano.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas