Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

Comandante da Força Aérea sueca rotula Gripen E de 'assassino' de caças russos

O comandante da Força Aérea da Suécia, Mats Helgesson, afirmou que o caça Saab Gripen E é capaz de vencer aviões russos Sukhoi em um combate aéreo, de acordo com o portal Business Insider.


Sputnik

"O Gripen, em particular, de modelo E, foi feito para 'matar' os Sukhoi. Aqui nós temos a faixa preta", afirmou.


Saab Gripen E
JAS-39 Gripen E | CC0

Os caças Sukhoi conseguiram o estatuto de lendários por sua alta capacidade de manobra e supremacia sobre os aviões norte-americanos no ar graças a "truques perigosos e agressivos", aponta a edição.

A Força Aérea dos EUA aposta nas tecnologias furtivas. Enquanto isso, os engenheiros do Gripen não tentam diminuir a visibilidade do caça, mas sim, modernizar os sistemas de guerra radioeletrónica a bordo.

"O Gripen não pode portar muitos armamentos, e não possui capacidades furtivas reais. Ele não tem grande alcance, não é o mais rápido, nem é o caça mais barato. Entretanto, ele possui uma característica particular que o torna um pesadelo para os aviões russos", escreveu a edição.

Segundo o analista do Instituto Real Britânico de Estudos de Defesa, Justin Bronk, os caças Gripen superam a maioria dos análogos na eficácia dos meios de guerra eletrônica e de supressão dos radares inimigos.

"Vários anos atrás, os pilotos dos Gripen se cansaram de serem ridicularizados pelos pilotos dos Typhoon alemães, eles tiveram a possibilidade de testar seus sistemas de guerra radioeletrônica em condições de combate, então para os [alemães] chegaram tempos difíceis", apontou.

"Um dos caças suecos até conseguiu aparecer sem ser detetado ao lado da asa esquerda de um Typhoon graças à capacidade de suprimir o sinal de rádio", indicou o analista, citado pela edição.

O analista militar Igor Korotchenkov qualificou, em entrevista à Sputnik, a afirmação de Helgesson como "presunçosa e tola".

"Trata-se de uma declaração presunçosa e tola, em primeiro lugar porque o Gripen pertence à classe de caças leves, como o MiG-29 e o MiG-35. Mas o Su-30 ou Su-35 são caças pesados", apontou.

"Em um combate aéreo real, o importante são as características táticas e tecnológicas de um avião e o profissionalismo de um piloto. Muito depende de condições particulares, da preparação do piloto, da prontidão de operar em vários regimes de combate aéreo. Portanto, ninguém inicialmente vai fazer afirmações presunçosas", explicou.

O analista acrescentou que tais declarações evidenciam o complexo de inferioridade da Força Aérea da Suécia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas