Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Deputado venezuelano sofre tentativa de "envenenamento" na Colômbia

O presidente da Comissão de Controladoria da Assembleia Nacional (parlamento) da Venezuela, Freddy Superlano, que estava em Cúcuta, na Colômbia, para apoiar a tentativa de levar ajuda humanitária a seu país, foi envenenado junto com seu primo Carlos Salinas, que acabou morrendo, informou neste domingo a assessoria de imprensa do parlamentar.


EFE

Caracas - "Na cidade de Cúcuta o deputado Freddy Superlano e seu primo Carlos Salinas sofreram um envenenamento e Carlos faleceu. O deputado está estável, oremos todos por sua rápida recuperação", diz uma mensagem postada no Twitter do legislador que foi difundida por sua assessoria de imprensa, que não acrescentou mais informações.


EFE/Joédson Alves
EFE/Joédson Alves

Por sua vez, o partido Vontade Popular (VP), do qual Superlano faz parte, disse através da mesma rede social que o parlamentar "foi vítima de um ataque com burundanga" - uma substância também conhecida como escopolamina - e que Salinas, que também militava no partido, "não resistiu" e "morreu por intoxicação".

O VP, fundado pelo opositor preso Leopoldo López e do qual também faz parte o presidente do parlamento Juan Guaidó, expressou suas condolências aos familiares de Salinas e acrescentou que está à espera das "investigações por parte das autoridades colombianas que levem ao esclarecimento dos fatos".

Na quinta-feira, o parlamentar informou que tinha chegado a Cúcuta para apoiar a tentativa de enviar ontem à Venezuela a ajuda humanitária armazenada na cidade colombiana, mas que foi bloqueada pelas forças de segurança do governo de Nicolás Maduro.

O parlamentar conduz várias investigações de corrupção na Venezuela relacionadas a temas como os pagamentos de propina da empreiteira brasileira Odebrecht, o desvio de divisas e o programa de alimentos subsidiados do governo Maduro.

Em novembro do ano passado, o parlamentar disse à Efe que o prejuízo que o país sofreu através do controle do câmbio supera os US$ 400 bilhões, um número quase 46 vezes superior às reservas internacionais atuais da Venezuela.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas