Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Encontrado porta-aviões dos EUA naufragado na Segunda Guerra Mundial

Afundado durante a Batalha das Ilhas de Santa Cruz, foi descoberto a 5.330 metros de profundidade por uma expedição financiada por Paul Allen, cofundador da Microsoft, que morreu no ano passado.


Diário de Notícias

O porta-aviões USS Hornet (CV-8), construído pela Marinha dos EUA, foi encontrado no sul do Oceano Pacífico, 77 anos depois de ter sido afundado pelos japoneses durante a Segunda Guerra Mundial, anuncia o Daily Mail.




O porta-aviões, que ficou conhecido pelo ataque Doolittle sobre Tóquio e por participar na batalha de Midway, foi descoberto durante uma expedição financiada pelo cofundador da Microsoft, Paul Allen, que morreu no ano passado.

Samuel Cox, diretor do Naval History and Heritage Command, recordou que a perda do Hornet deu a vitória da Batalha de Santa Cruz aos japoneses, "mas a um custo extremamente alto".




Para chegar à embarcação, uma equipa de dez pessoas reuniu dados de arquivos nacionais e navais, que incluíam informações sobre outros navios envolvidos na batalha. Foi necessário mapear posições de nove outros navios de guerra para chegarem à posição do Hornet.

Foi um veículo subaquático operado remotamente - o R/V Petrel - que chegou à embarcação. Segundo a informação disponível no site de Paul Allen, os destroços foram descobertos no final de janeiro, a 5.330 metros de profundidade, no fundo do sul do Oceano Pacífico, perto das Ilhas Salomão.




Robert Kraft, diretor de operações subaquáticas da Vulcan, que opera o Petrel, explicou que a equipa tinha a ambição de encontrar este porta-aviões, pelo lugar que ocupa na história das batalhas navais.

"Paul Allen estava particularmente interessado em navios historicamente significativos e de capital, pelo que esta missão e descoberta honram o seu legado", disse, citado pelo Daily Mail.

Dos 2.200 tripulantes que se encontravam a bordo do porta-aviões, 140 morreram. Richard Nowatzki, agora com 95 anos, foi um dos sobreviventes. "Eu sei que tenho sido um homem muito afortunado", disse, depois de ver as imagens da descoberta.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas