Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: Brasil poderia se tornar 'vigilante' dos EUA na América Latina

O presidente norte-americano, Donald Trump, referiu a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN. O analista russo Pavel Feldman avaliou a possibilidade de entrada do Brasil na aliança, bem como que papel poderia desempenhar o Brasil no conflito na Venezuela.
Sputnik

Durante a visita oficial do presidente do Brasil Jair Bolsonaro aos EUA, foram discutidos os assuntos internacionais mais importantes, entre eles a cooperação bilateral entre os EUA e o Brasil e a situação na Venezuela.


Uma das declarações mais sensacionais foi a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN, referida pelo presidente dos EUA Donald Trump.

O vice-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Prognósticos da Universidade Russa da Amizade dos Povos, Pavel Feldman, revelou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que os EUA são apenas um dos países da OTAN, há outros países cuja opinião deveria ser levada em conta nesse assunto.

Segundo ele, se o Brasil aderir à OTAN ele vai desempenhar o papel de vigilante d…

EUA enviam destróier ao mar Negro pela 2ª vez

O destróier norte-americano USS Donald Cook se dirigiu ao mar Negro pela segunda vez desde o início do ano, informou o site da Sexta Frota dos Estados Unidos.


Sputnik

"Cada visita aqui nos dá uma oportunidade única de cooperar com os nossos parceiros marítimos regionais", declarou o comandante Matthew Powel.


Destróier de mísseis norte-americano USS Donald Cook da classe Arleigh Burke (foto de arquivo)
USS Donald Cook | CC0 / Fotos da Marinha dos EUA

Segundo o comunicado, essa passagem reforçará a estabilidade na região. Planeja-se que o Donald Cook realize manobras conjuntas com os aliados da OTAN e outros parceiros.

Os representantes do Centro de Gerenciamento de Defesa Nacional afirmaram que os navios russos estão controlando as ações do destróier norte-americano. O controle direto é realizado pelo navio de mísseis pequeno Orekhovo-Zuevo e pelo navio de reconhecimento Ivan Khurs.

Em janeiro, o Donald Cook já tinha entrado no porto de Batumi e participado de exercícios com dois navios da Guarda Costeira da Geórgia. O acontecimento provocou uma reação negativa da parte russa.

O senador Aleksei Pushkov assinalou que tais passagens não qualquer relação com a manutenção da segurança e aconselhou os EUA a "ficarem mais longe do nosso litoral".

O deputado da Crimeia Mikhail Sheremet chamou atenção ao fato de que Washington começou a abusar do espirito pacífico e de contenção da Rússia. Ele acrescentou que a política agressiva dos EUA não pode continuar infinitamente.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas