Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

EUA não vão instalar armamentos nucleares na Europa, diz subsecretário de Defesa

Os Estados Unidos não têm planos de instalar mísseis ou sistemas nucleares armados na Europa após a saída do Tratado das Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), afirmou em um fórum o subsecretário de Defesa dos EUA, David Trachtenberg.


Sputnik

No início do dia, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que os Estados Unidos suspenderão suas obrigações sob o Tratado INF neste sábado e iniciarão o processo de retirada dentro de seis meses.


Maquete de míssil nuclear Minuteman III usado para treinamento de equipes de manutenção de mísseis é visto na base da Força Aérea F. E. Warren, Wyo. ( foto de arquivo)
© AP Photo / Robert Burns

"Não há planos para avançar e implantar mísseis na Europa ou sistemas nucleares armados na Europa", informou Trachtenberg nesta sexta-feira.

A situação atual, ele acrescentou, não se parece em nada com as circunstâncias que levaram ao Tratado INF nos anos 80.

O Ministério de Relações Exteriores da Rússia afirmou, em comunicado, que os Estados Unidos saíram do Tratado INF porque querem impor ao mundo um conjunto de regras que satisfaz as necessidades oportunistas da política externa de Washington.

O ministério russo também disse que Moscou consistentemente, contínua e incondicionalmente cumpre seus compromissos no campo do controle de armas, desarmamento e não-proliferação.

O Tratado INF, assinado pelos Estados Unidos e União Soviética em 1987, proíbe todos os mísseis balísticos lançados no solo, com intervalos entre 310 e 3.400 milhas.

Os Estados Unidos afirmaram repetidamente que o alcance do míssil 9M729 da Rússia viola os limites do tratado, alegações que Moscou negou citando falta de provas. A Rússia reclamou que os sistemas de defesa dos EUA na Europa estão equipados com lançadores capazes de disparar mísseis de cruzeiro em faixas intermediárias.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas