Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Ex-diplomata venezuelano defende 'suporte militar' de EUA, Brasil, Colômbia contra Maduro

O ex-diplomata venezuelano Isaias Medina que rompeu com o presidente Nicolás Maduro em julho de 2017, disse que apoia fortemente a coragem do líder da oposição, Juan Guaidó, e quer que o governo Trump mantenha a opção militar na mesa.


Sputnik

Medina afirmou em coletiva de imprensa na sede da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova York: "Acho que precisamos da força dos EUA, Brasil, Colômbia".


Militares das Forças Armadas da Venezuela
Tropas venezuelanas © REUTERS / Carlos Garcia Rawlins

Ele disse que a Venezuela está passando agora pela pior situação de qualquer país da América Latina, com milhares de mortos e famintos devido à falta de alimentos e remédios.

"O principal objetivo aqui é trazer assistência humanitária — e se isso precisar ser feito por meio de suporte militar, que seja", afirmou. "Não é uma intervenção militar — é uma intervenção humanitária internacional", acrescentou Medina, observando que seu avô foi presidente da Venezuela durante a Segunda Guerra Mundial e se opôs aos nazistas.

"Não estou apenas dizendo que Maduro é uma ameaça à manutenção da paz na região", afirmou. "Ele é um perigo claro e presente e um risco para a segurança nacional dos Estados Unidos. Trata-se de um regime muito antiocidental, antidemocrático e antiamericano".

Medina trabalhou como consultor jurídico na missão da Venezuela na ONU antes de deixar o cargo em 2017.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas