Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

França quer desenvolver seu próprio 'Avangard' hipersônico, segundo mídia

Em cinco anos, a França planeja desenvolver seu próprio armamento hipersônico, de acordo com a revista norte-americana The National Interest.


Sputnik

Segundo a edição, o país já tinha lançado o projeto nomeado Experimental Maneuvering Vehicle (Veículo Experimental Manobrável) ou V-Max, que visa criar até 2021 um planador hipersônico capaz de atingir 6.000 km/hora.


A velocidade máxima do míssil Avangard, dotado de um corpo de titânio resistente às altas temperaturas, supera 20 vezes a velocidade do som
Lançamento do míssil russo Avangard © Sputnik / Ministério da Defesa da Federação da Rússia

The National Interest adiciona que o projeto também compreenderá a criação de uma arma nuclear estratégica e será desenvolvido pela empresa ArianeGroup, formada pelas Airbus e Safran. O míssil de cruzeiro hipersônico do sistema ar-ar ASN4G será a base para a nova arma. Prevê-se que o primeiro voo de testes do V-Max ocorra no final de 2021.

A alta velocidade dos mísseis hipersônicos pode proporcionar à França uma vantagem sobre os sensores antimísseis e os interceptadores projetados contra mísseis mais antigos e mais lentos. E, ao contrário dos mísseis balísticos, cujas ogivas seguem uma trajetória previsível e interceptável, os planadores hipersônicos podem manobrar na atmosfera como aviões ultrarrápidos.

Entretanto, a edição aponta que, apesar de o país possuir avançados desenvolvimentos tecnológicos, além de ter uma indústria aeroespacial moderna, o prazo de cinco anos é curto demais.

A revista frisa também que a França pode ser a primeira nação europeia a desenvolver seu próprio armamento hipersônico e entrar no assim chamado "clube hipersônico", que já inclui a Rússia, os EUA e a China, enquanto o sistema mais avançado desse tipo é o Avangard russo, considerado como invulnerável para a defesa antiaérea dos EUA.

Em dezembro de 2018, o Ministério da Defesa russo, por ordem do presidente russo, Vladimir Putin, efetuou um voo de testes do míssil Avangard, que acabou bem-sucedido ao atingir o alvo aproximadamente a 6.000 km da área de lançamento.

Assim, o programa de testes de voo do Avangard já foi cumprido, possibilitando que neste ano o sistema entre em serviço das Forças Armadas russas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas