Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Jihad Islâmica diz ter obtido mísseis capazes de atingir Tel-Aviv e Jerusalém

No ano passado, a organização palestina ameaçou realizar ataques em Tel-Aviv se Israel desencadear a violência contra os moradores de Gaza. A ameaça foi emitida em meio a confrontos que duraram semanas na fronteira entre Gaza e Israel, deixando mais de cem mortos e centenas de feridos.


Sputnik

Abu Hamza, o porta-voz dos batalhões de al-Quds, a ala militar da organização da Jihad Islâmica Palestina, anunciou que o grupo havia obtido mísseis capazes de chegar a Jerusalém, Tel-Aviv e a cidade costeira de Netanya com maior precisão. O anúncio veio em uma transmissão de documentário no canal de notícias al-Alam.


Membros palestinos das Brigadas Al-Quds, a ala militar do grupo Jihad Islâmica
Brigada Al-Quds © AP Photo/ Hatem Moussa

O porta-voz advertiu Tel-Aviv contra "ações estúpidas", dizendo que, de outra forma, os batalhões de al-Quds transformariam as cidades israelenses "no inferno".

"Estamos confiantes na vitória sobre Israel e este regime será destruído. Continuaremos resistindo e não daremos um passo atrás", concluiu.

Em maio de 2018, a Jihad Islâmica ameaçou Israel com a realização de ataques em Tel-Aviv se o Estado judeu desencadeasse violência contra a Faixa de Gaza. Mais tarde, no final de outubro de 2018, eles concordaram em um abrangente cessar-fogo com Tel-Aviv. Israel costuma atacar o grupo em Gaza, junto com o do Hezbollah, respondendo a lançamentos de mísseis do enclave.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas