Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Justiça russa rejeita recurso contra detenção de 4 marinheiros ucranianos

O Tribunal de Moscou rejeitou nesta quinta-feira um recurso contra o prolongamento da prisão preventiva decretada contra quatro dos 24 marinheiros da Ucrânia detidos em novembro do ano passado e acusados de violar as águas territoriais russas no mar Negro, perto do estreito de Kerch.


EFE

Moscou - A sentença deixou em vigor e sem alterações a decisão de um tribunal do distrito de Lefortovo, instância inferior, de deixar os marinheiros em prisão preventiva até o dia 24 de abril.


Vários dos marinheiros ucranianos detidos na Rússia. EFE/ Sergei Ilnitsky
Vários dos marinheiros ucranianos detidos na Rússia. EFE/ Sergei Ilnitsky

Outros dois recursos similares contra essa mesma medida cautelar adotada contra os outros 20 ucranianos serão estudados pela instância judicial superior da capital russa em audiências que acontecem nos dias 12 e 13 de fevereiro.

O Serviço Federal de Segurança russo (FSB, antiga KGB) negou que os marinheiros ucranianos detidos sejam prisioneiros de guerra, já que "Rússia e Ucrânia não estão em estado de guerra".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas