Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Maduro: independência da Venezuela está sendo destruída sob manto da ajuda humanitária

Anteriormente, Maduro havia descartado a promessa dos EUA de enviar ajuda humanitária para o país, alegando estar sofrendo um "golpe político" e um pretexto para a invasão, já que Washington se recusou a reconhecer o governo legítimo da Venezuela, impondo sanções a Caracas.


Sputnik

"Eles estão tentando destruir a independência e soberania do país sob o pretexto de entregar ajuda humanitária. Eles estão tentando desestabilizar o nosso país, mas isso não lhes trouxe nenhum sucesso", ressaltou o presidente venezuelano.


Nicolás Maduro, presidente de Venezuela
Nicolás Maduro © REUTERS / Adriana Loureiro

Maduro confirmou que está pronto para realizar eleições parlamentares antecipadas no país, a fim de acabar com a crise política em curso.

"Eu proponho eleições antecipadas para a Assembleia Nacional, e vou ratificá-las", disse Maduro a repórteres, acrescentando que gostaria de "ver as pessoas votando em uma nova Assembleia Nacional que ajudará o país e contribuirá para sua estabilização".

Ele também disse que Caracas está pronta para apoiar o "mecanismo de Montevidéu" ou qualquer outra iniciativa que vise contribuir para o diálogo na Venezuela. Maduro rejeitou, no entanto, os grupos de contato apoiados pela União Europeia, classificando-os como tendenciosos, afirmando que o bloco é "surdo", já que não ouve a Venezuela.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas