Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Novo grupo de deslocados sai do último reduto do EI na Síria

Um novo grupo de deslocados de várias nacionalidades saiu nesta sexta-feira do último reduto do grupo jihadista Estado Islâmico (EI), na província síria de Deir ez-Zor, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos.


EFE

Beirute - Os deslocados são pelo menos 12 homens e quatro mulheres, que segundo a ONG são "esposas de membros do EI" de várias nacionalidades, além de várias crianças.


Resultado de imagem para deir ez zor refugiados
Reprodução

O Observatório não informou se os homens são civis ou combatentes do grupo terrorista.

Este é o primeiro grupo de deslocados que sai desde a última quarta-feira deste território controlado pelos jihadistas, uma área de cerca de quatro quilômetros quadrados no leste do rio Eufrates, perto da fronteira com o Iraque.

Segundo a última apuração do Observatório, desde 1º de dezembro do ano passado até a última quarta-feira 37.101 pessoas saíram desta região.

As Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança de milícias lideradas por curdos, estão fazendo uma ofensiva contra o último reduto do EI desde setembro de 2018, com o apoio da coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos.

Durante as últimas semanas as milícias curdas avançaram em sua campanha conquistando praticamente todo o território controlado pelos jihadistas na província síria de Deir ez-Zor.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas