Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Países da UE alcançam acordo sobre Nord Stream 2

França e Alemanha chegam a um acerto sobre o polêmico gasoduto, que é aceito pelos demais países europeus. Adversários criticam a obra e argumentam que ela vai elevar a dependência da UE da Rússia.


Deutsch Welle

Os Estados-membros da União Europeia (UE) chegaram nesta sexta-feira (08/02) a um acordo sobre a polêmica construção do Nord Stream 2, gasoduto planejado para ligar a Rússia à Alemanha.


Infografik Karte Gaspipelines Europa Nord Stream PT

O acordo acertado em Bruxelas contempla a reforma das chamadas diretrizes do gás da UE, e, ao mesmo tempo, permite a conclusão do bilionário projeto, que estava ameaçado por essas mudanças.

A Alemanha pressionou a favor do Nord Stream 2, um gasoduto através do Mar Báltico que transportará gás russo para a União Europeia, e era contra alterações nas diretrizes porque elas ameaçavam o projeto.

Porém, a Alemanha foi obrigada a negociar depois que a França sinalizou, nesta quinta-feira, uma mudança de posição, passando de apoiadora a adversária do Nord Stream 2.

Nesta sexta-feira, em nova reviravolta, os dois governos apresentaram um projeto comum de reforma, que contempla tanto as mudanças nas diretrizes quanto os interesses alemães no Nord Stream 2.

A alteração nas diretrizes significava, basicamente, que a operação do gasoduto e o abastecimento dele com gás fossem duas atividades separadas e que não pudessem ser controladas por uma mesma empresa, como é o caso do Nord Stream 2, com a russa Gazprom.

A nova proposta contorna essa questão ao elevar o controle da UE sobre os gasodutos. A responsabilidade por pipelines com origem em países de fora da UE passa a ser do país onde esse pipeline alcança a rede europeia de gás. Ou seja, no caso do Nord Stream 2, a Alemanha será a responsável pelo controle do gasoduto.

O Palácio do Eliseu ressalvou que o governo alemão concordou que um controle europeu terá a palavra final sobre o Nord Stream 2. Analistas afirmaram que as mudanças implicam que a Gazprom terá que se submeter à regulação europeia.

Depois do acerto em Bruxelas, a reforma das diretrizes do gás ainda precisará passar pelo Parlamento Europeu, pela Comissão Europeia e pela aprovação de todos os países-membros para só então passar a vigorar.

Os adversários do projeto argumentam que o novo gasoduto vai elevar a dependência europeia do gás da Rússia, além de prejudicar interesses de países do Leste da UE e de parceiros, como a Ucrânia, que perdem dinheiro se houver menos gás passando por seu território.

Quando concluído, o Nord Stream 2 transportará até 55 bilhões de metros cúbicos de gás da Rússia para a Alemanha por ano, através do Mar Báltico, contornando países de trânsito como a Polônia e a Ucrânia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas