Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Gorbachov chama EUA para retomar diálogo com a Rússia sobre armas nucleares

O último presidente da União Soviética, Mikhail Gorbachov, pediu que os Estados Unidos retomem um "diálogo sério" com a Rússia sobre o problema das armas nucleares e alertou contra as "perigosas tendências destrutivas" na política mundial, em artigo publicado nesta quarta-feira no jornal "Vedomosti".
EFE

Moscou - Após constatar uma ruptura da comunicação entre Moscou e Washington, o ex-líder soviético se dirigiu em particular aos congressistas americanos para pedir que deixem de lado suas diferenças partidárias para facilitar um "diálogo sério" entre ambos os países.


"Estou convencido de que a Rússia está preparada (para o diálogo)", ressaltou Gorbachov, que manifestou preocupação com a suspensão, primeiro pelos EUA e depois pela Rússia, do Tratado de Eliminação dos Mísseis de Médio e Curto Alcance (INF), que ele assinou em 1987 com o então presidente americano, Ronald Reagan.

Gorbachov apontou que por trás da decisão de Washington de deix…

Reino Unido estuda aplicar sanções contra o governo de Maduro

O Reino Unido avalia novas medidas para promover "a paz e a democracia" na Venezuela, entre elas sanções contra o governo de Nicolás Maduro, disse nesta segunda-feira um porta-voz da primeira-ministra Theresa May.


EFE

Londres - "Como disse nesta manhã o ministro das Relações Exteriores (Jeremy Hunt), os que continuarem violando os direitos humanos dos venezuelanos com o amparo de um regime ilegítimo terão que prestar contas", afirmou.


EFE/ ERNESTO GUZMÁN JR
EFE/ ERNESTO GUZMÁN JR

"Estamos estudando mais medidas para assegurar a paz e a democracia na Venezuela, inclusive mediante sanções", disse o porta-voz de May, que não detalhou quais penalizações poderiam ser aplicadas.

Enquanto o Reino Unido estiver na União Europeia, qualquer sanção será decidida e aplicada em nível comunitário. O porta-voz oficial explicou que, embora normalmente o governo britânico reconhece Estados e não governos, o caso da Venezuela é diferente pela sua Constituição.

"A única coisa que fazemos é reconhecer Guaidó como o presidente interino constitucional até que possam ser realizadas eleições críveis", ressaltou o representante de May.

Hunt anunciou nesta segunda-feira que o Reino Unido reconhece o político de 35 anos como "presidente constitucional interino" da Venezuela até a convocação de eleições, passado o prazo de oito dias dado a Maduro para que ele mesmo convocasse o pleito.

Em comunicado, o chefe do Ministério das Relações Exteriores britânico comentou que "o povo venezuelano já sofreu bastante".

"É hora de um novo começo, com eleições livres e justas conforme os padrões democráticos internacionais. A opressão do ilegítimo e cleptocrático regime de Maduro deve acabar. O povo venezuelano merece um futuro melhor", afirmou Hunt, que na quinta-feira passada propôs a possibilidade de aplicar sanções contra "os corruptos" na Venezuela.

Essa posição foi criticada pelo líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn, que condenou qualquer "interferência exterior" na Venezuela e pediu "diálogo" para solucionar a crise no país.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas