Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

República Centro-Africana: Governo e 14 grupos armados assinam acordo de paz

Subsecretário-geral da ONU para Operações de Paz garante mobilização da ONU para implementação do acordo; processo também foi mediado pela União Africana.


ONU

Após 10 dias de negociações em Cartum, no Sudão, o governo da República Centro-Africana, RCA, e 14 grupos armados assinaram um acordo de paz.


Jean Pierre Lacroix e Smail Chergui felicitaram o governo da República Centro-Africana e as outras partes pelo acordo de paz alcançado | Foto Minusca

O entendimento foi formalizado este sábado, anunciou a Missão das Nações Unidas na República Centro-Africana, Minusca, na sua conta no Twitter. Um acordo tornado possível sob a “Iniciativa Africana para a Paz e Reconciliação na República Centro-Africana” liderada pela União Africana, UA, com o apoio das Nações Unidas.

Negociações

O subsecretário-geral da ONU para Operações de Paz, Jean-Pierre Lacroix, afirmou, através da sua conta de Twitter, que a ONU se vai “mobilizar para apoiar a implementação do acordo de paz", após o anúncio da conclusão do acordo de paz na capital sudanesa.

Já o comissário da UA para Paz e Segurança, citado pela Minusca no Twitter afirmou que “este é um grande dia para todas as pessoas da República Centro-Africana."

O alto funcionário da UA pediu a todos centro-africanos que apoiem este acordo que, segundo ele, permitirá ao "povo da República Centro-Africana embarcar no caminho da reconciliação, concórdia e desenvolvimento.

Facilitador das negociações de Cartum, Chergui disse ter ficado muito satisfeito ao ver as partes a entrar em diálogo direto pela primeira vez "num espírito sereno e responsável.”

Após a conclusão do acordo de paz no sábado, o Comissário da UA salientou a cooperação exemplar das partes presentes nas conversações.

O chefe da delegação do governo da RCA para as negociações de Cartum, Firmin Ngrebad, explicou que estava determinado "a trabalhar com o chefe de Estado e o seu governo para implementar as respostas às preocupações dos irmãos que pegaram em armas.”

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas