Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Rússia equipará sistema Iskander-M com novos tipos de mísseis

O sistema tático-operacional Iskander-M receberá novos tipos de mísseis, anunciou o coronel Roman Spirin, presidente do Conselho Técnico-Científico do Ministério da Defesa.


Sputnik

Em um futuro próximo, planeja-se criar um sistema universal de mísseis antitanque, com base em um veículo autopropulsado e multiuso, de acordo com o princípio "disparar e esquecer", permitindo lançar mísseis a partir de locais despreparados e de pequenas dimensões, bem como de posições de fogo.


Sistema de mísseis Iskander-M
Iskander-M © Sputnik / Grigory Sysoev

No final de janeiro, o chefe das Forças de Mísseis e Artilharia russas, Mikhail Matveevsky, disse que o míssil 9M729 foi criado durante a modernização do sistema de mísseis Iskander-M.

Segundo ele, o míssil 9M729 inclui equipamentos de combate de maior potência e um novo sistema de controle, proporcionando maior precisão.

É por causa deste míssil que os EUA decidiram romper o Tratado INF. Segundo Washington, ele viola os termos do acordo. Moscou considera essas acusações infundadas.

O Kremlin enfatizou que o míssil 9M729 não foi desenvolvido ou testado a distâncias que excedam o limite estabelecido no tratado.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas