Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Tropas estadunidenses serão totalmente retiradas da Síria até final de abril, diz mídia

Segundo a mídia estadunidense, os EUA retirarão todas as suas forças da Síria até ao final de abril de 2019, mas a maioria das tropas estadunidenses será retirada do país até meados de março.


Sputnik

Os EUA se preparam para retirar todas as suas tropas que ainda estão na Síria até ao fim de abril, informou na quinta-feira (7) o jornal The Wall Street Journal, citando atuais e antigos militares estadunidenses. 


Militar estadunidense vigia área em veículo blindado na Síria
Tropa dos EUA na Síria © AP Photo / APTV

Segundo a edição, a maioria das tropas estadunidenses será retirada do país até meados de março.

Na quarta-feira (6) um alto funcionário da Administração dos EUA revelou aos jornalistas que a área síria de Al-Tanf será a última a ser abandonada pelas tropas estadunidenses, acrescentando que os EUA vão continuar a ser “o doador humanitário número um para a Síria”.

Em dezembro, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou a decisão de retirar 2.000 militares estadunidenses da Síria e declarou a vitória sobre o Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) na Síria.

Ao mesmo tempo, Washington prometeu que a luta da coalizão internacional liderada pelos EUA contra o terrorismo na região continuaria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas