Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Venezuela e Rússia discutirão ações para 'evitar guerra'

A vice-presidente da Venezuela, Delcy Rodriguez, discutirá com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, a cooperação bilateral na prevenção de hostilidades contra a Venezuela.


Sputnik

De acordo com o ministro venezuelano das Relações Exteriores, Jorge Arreas, as partes vão coordenar ações para impedir qualquer tipo de guerra contra a Venezuela. 


Militares das Forças Armadas da Venezuela
Tropas venezuelanas © REUTERS / Carlos Garcia Rawlins

“Ela se encontrará com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov. Será discutida nossa cooperação, a situação na Venezuela, bem como a coordenação de ações para impedir qualquer tipo de guerra contra a Venezuela e proteger os princípios da Carta da ONU. Nossos projetos nacionais também serão discutidos”, disse ele.

O chanceler russo havia declarado que Moscou está trabalhando com os países que estão igualmente preocupados com a possibilidade de um cenário militar na Venezuela para prevenir o uso da força durante a crise.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, declarou anteriormente que Washington continuará exercendo pressão sobre o presidente venezuelano Nicolás Maduro até que ele entendesse que os seus dias estavam "contados", acrescentando que os EUA não excluem o cenário militar.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas