Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Washington exige que Alemanha aumente gastos militares porque 'Rússia está à porta'

Berlim não deve economizar em defesa porque "a Rússia está à porta", declarou o embaixador dos EUA na Alemanha, Richard Grenell.


Sputnik

"As obrigações da Alemanha de aumentar os gastos militares para 1,5% [do PIB] são insuficientes, a OTAN exige 2% até 2024", disse o embaixador em entrevista ao jornal Welt am Sonntag poucos dias antes da reunião dos ministros da Defesa da OTAN em Bruxelas.


As forças da OTAN na Letônia
Tropas da OTAN na Letônia © REUTERS / Ints Kalnins

"Os EUA simplesmente lembram à sua boa aliada, a Alemanha, que agora não é a hora de enfraquecer ou minar a OTAN. A Rússia está à porta, deveria ser claro para todos que a OTAN tem de se fortalecer", acrescentou o embaixador.

Grenell declarou que "a Alemanha ainda não apresentou um plano convincente de um caminho para uma meta de 2%".

Segundo o diplomata, ele “entende que os alemães preferem gastar o dinheiro dos impostos em casa e não aumentar o orçamento militar".

Ao mesmo tempo, Grenell negou os rumores que os EUA poderiam abandonar a aliança militar e afirmou que "os EUA estão totalmente comprometidos com a OTAN".

Em julho de 2016, a OTAN aprovou um aumento sem precedentes de sua presença militar no leste da Europa, que inclui a implantação de batalhões multinacionais na Estônia, Letônia, Lituânia e Polônia no âmbito de uma política de contenção da Rússia, que foi acusada de desestabilização da situação na Ucrânia.

Comentando a situação, o chanceler russo, Sergei Lavrov, disse que a aliança está ciente de que a Rússia não planeja atacar nenhum país e usam a suposta ameaça russa para justificar o envio de armas e tropas para perto das fronteiras russas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas