Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares revelam como suas vidas foram destruídas pelo Exército dos EUA

O Twitter oficial do Exército dos EUA realizou uma pesquisa para averiguar como o serviço impactou a vida de seus militares.
Sputnik

Atualmente, mais de 9.000 pessoas já compartilharam suas opiniões. Apesar de constatarem que o serviço no Exército fortalece fisicamente e emocionalmente as pessoas, dando algum sentido às suas vidas e abrindo perspectivas profissionais, há muitos outros comentários com declarações céticas e críticas sobre a influência do Exército dos EUA no mundo, no país e na sua vida pessoal.

Várias pessoas compartilharam histórias de seus familiares que cometeram suicídio, sofreram de transtorno por estresse pós-traumático, passaram por mudanças radicais de caráter e comportamento ou deixaram de ser saudáveis depois de participarem em ações militares dos EUA.

Além disso, há aqueles cujos familiares ou eles próprios foram abusados durante o serviço.

Outros usuários recordaram que os horrores da guerra deixam cicatrizes na mente.

Diversos outros usuários da rede social compa…

Ataque com caminhão-bomba deixa pelo menos 25 mortos e 60 feridos na Somália

Pelo menos 25 pessoas morreram e outras 60 ficaram feridas em um ataque com um caminhão-bomba cometido pelo grupo jihadista Al-Shabaab, na noite de quinta-feira, em Mogadíscio, capital da Somália.


EFE

Mogadíscio - 
O porta-voz do serviço de ambulâncias Aamin, Mohammed Abdukadir, confirmou esses números à Agência Efe e não descartou um aumento de vítimas.

EFE/ Said Yusuf Warsame
EFE/ Said Yusuf Warsame


Anteriormente, o comandante de polícia local, Abshir Isak, tinha relatado que o ataque havia deixado 23 mortos e 45 feridos.

Isak explicou que ataque tinha como alvo o hotel Maka Almukrama, localizado em uma rua movimentada da região central da cidade, onde continuam hoje as operações de resgate das vítimas.

Segundo a mesma fonte, a explosão ocorreu do lado de fora da porta do hotel - frequentada por autoridades do governo somali - e cinco agressores tentaram acessar o estabelecimento, mas não conseguiram porque foi parcialmente destruído e se esconderam em um prédio próximo.

Depois da explosão, que pôde ser ouvida a vários quilômetros da área e causou numerosos danos materiais às lojas e veículos estacionados na rua, ouviram-se rajadas de tiros, informou a mídia local.

As forças de segurança se deslocaram para o local do ataque e iniciaram uma operação que durou até o início desta manhã.

Os agressores "mataram e feriram várias pessoas dentro do complexo, mas as forças de segurança confrontaram os agressores", se limitou a dizer o ministro da Informação, Mohamud Gelle.

O Al-Shabaab assumiu a responsabilidade pelo ataque, informou a mídia local.

Tudo indica que pode ser o pior atentado cometido pelo grupo jihadista em Mogadíscio, desde o massacre de 14 de outubro de 2017, quando outro ataque com caminhão-bomba deixou pelo menos 512 mortos no pior ato terrorista da história da Somália.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas