Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Bolsonaro: ‘Contamos com o apoio dos EUA para libertar venezuelanos’

O presidente Jair Bolsonaro discursou na U.S. Chamber of Commerce, em Washington, nos Estados Unidos, nesta segunda-feira (18), e disse confiar na capacidade econômica e bélica dos americanos para “resolver a questão da Venezuela”. “Temos que resolver a questão da Venezuela. Aquele povo tem que ser libertado e contamos com o apoio dos Estados Unidos”, declarou.


Jovem Pan

Bolsonaro indicou que a Venezuela foi um exemplo do mal que a esquerda pode fazer e que isso contribuiu para a sua eleição, em outubro do ano passado. “O povo brasileiro não aceitava mais o crescimento da esquerda e o exemplo negativo da Venezuela se fez presente”, explicou. Ele também comparou brasileiros e americanos, afirmando que ambos os povos são “conservadores, tementes a Deus e cristãos”.

O presidente Jair Bolsonaro discursou na U.S. Chamber of Commerce nesta segunda-feira (18) | Alan Santos/PR

O capitão reformado disse que o Brasil agora tem um presidente amigo dos Estados Unidos, ao contrário do que aconteceu durante o governo do PT. “O governo era anti-americano, mas não culpo apenas eles. Era tradição no brasil eleger presidentes de mãos dadas com a corrupção e inimigos dos Estados Unidos. O Brasil tem um presidente amigo dos Estados Unidos e que admira esse país maravilhoso”, declarou. Ele ainda afirmou ter sido inspirado pelo povo americano em boa parte das decisões que tomou e revelou ser fã de Ronald Reagan, presidente dos EUA entre 1981 e 1989.

Comparação com Trump

Nesta terça-feira (19), Jair Bolsonaro irá se encontrar com o presidente americano, Donald Trump. Ele antecipou que vai dizer a Trump que também sofreu com as fake news. “Conheci Trump nas prévias e quando ele começou a sofrer ataques da mídia. Eu sofria dois anos antes no Brasil”, afirmou Bolsonaro. Ele disse ter sido eleito lutando contra notícias falsas e com boa parte da mídia contra sua candidatura.

Ainda no encontro, o presidente pretende “estender a mão” aos Estados Unidos. “O Brasil tem potencial enorme. Precisamos de bons parceiros e estou estendendo minha mão para um parceiro importante”, disse. “O Brasil mudou e nós estamos prontos para ouvi-los para chegar a um bom entendimento de modo que as políticas tragam paz e prosperidade para o Brasil e os Estados Unidos”, afirmou.

Smartphone Motorola G7 Power 32GB Azul Navy 4G - 3GB RAM Tela 6,2” Câm. 12MP + Câm. Selfie 8MP

Smartphone Motorola G7 Power 32GB Azul Navy 4G - 3GB RAM Tela 6,2” Câm. 12MP + Câm. Selfie 8MP

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas