Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: Brasil poderia se tornar 'vigilante' dos EUA na América Latina

O presidente norte-americano, Donald Trump, referiu a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN. O analista russo Pavel Feldman avaliou a possibilidade de entrada do Brasil na aliança, bem como que papel poderia desempenhar o Brasil no conflito na Venezuela.
Sputnik

Durante a visita oficial do presidente do Brasil Jair Bolsonaro aos EUA, foram discutidos os assuntos internacionais mais importantes, entre eles a cooperação bilateral entre os EUA e o Brasil e a situação na Venezuela.


Uma das declarações mais sensacionais foi a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN, referida pelo presidente dos EUA Donald Trump.

O vice-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Prognósticos da Universidade Russa da Amizade dos Povos, Pavel Feldman, revelou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que os EUA são apenas um dos países da OTAN, há outros países cuja opinião deveria ser levada em conta nesse assunto.

Segundo ele, se o Brasil aderir à OTAN ele vai desempenhar o papel de vigilante d…

China garante estar pronta a ajudar Venezuela na restauração do fornecimento de energia

A China está pronta para ajudar a Venezuela a restaurar o fornecimento de energia à população, declarou nesta quarta-feira (13) o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang.


Sputnik

O porta-voz da chancelaria chinesa expressou preocupação com relatos de que o acidente foi causado por um ataque cibernético ao sistema energético, e indicou a prontidão da China em ajudar o parceiro latino-americano.


Apagão em Caracas, Venezuela
© Sputnik / Eva Mari Uskategi

"A China está pronta para fornecer à Venezuela assistência e apoio técnico para restaurar o sistema de fornecimento de energia", garantiu Lu Kang, durante briefing.

"Esperamos que o lado venezuelano investigue as causas do acidente o mais rápido possível, bem como restaure o fornecimento de energia e a ordem pública", acrescentou.

Respondendo à pergunta sobre se a China poderia enviar especialistas para participar da investigação, o diplomata chinês disse que ainda não tinha informações sobre este assunto.

Anteriormente, o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, disse que vai pedir às autoridades da Rússia, China, Irã e Cuba, assim como à ONU, que apoiem a investigação do recente ataque ao sistema energético do país, que está há alguns dias sem energia em muitas regiões.

O colapso energético na Venezuela ocorreu no dia 7 de março após um acidente na hidrelétrica do país, Guri, responsável por 80% de toda a energia fornecida.

O acidente atingiu mais duramente o sistema de transporte e os serviços públicos, pelo menos 20 dos 23 estados venezuelanos foram atingidos por apagão. Governo venezuelano chamou o incidente de "sabotagem" e episódio da guerra energética contra o país.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas