Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

EUA não descartam ataque nuclear preventivo para reforçar dissuasão, segundo relatório

Washington diz que não quer focar na política de "não ser o primeiro" a utilizar armas nucleares, já que a doutrina em questão poderia pôr em dúvida sua capacidade de defender parceiros, de acordo com o relatório do subsecretário adjunto de Defesa norte-americano, David Trachtenberg.


Sputnik

O documento, de 28 de março de 2019, frisa que Washington há muito tempo mantém uma política de "ambiguidade construtiva", que "dissuadiu os potenciais adversários de coação ou de agressão nuclear desde o início da era nuclear".

Resultado de imagem para bomba nuclear eua
Bombardeiro B-2 Spirit dos EUA equipado com bomba nuclear de precisão | Reprodução

"A política de 'não ser o primeiro' [a utilizar armas nucleares] minaria a dissuasão ampliada dos EUA e prejudicaria a saúde de nossos aliados, já que poria em dúvida a garantia de que os Estados Unidos defenderiam seus aliados em circunstâncias extremas", afirmou Trachtenberg.

Além disso, o relatório indicou quais são as "circunstâncias extremas" que impulsionariam as autoridades dos EUA a usar armas. Entre outras causas, foram mencionados "ataques estratégicos significativos não nucleares" contra civis, instalações, forças nucleares e os comandos deles não somente dos EUA, mas também dos aliados.

Ao mesmo tempo, Trachtenberg indicou que a incerteza sobre a garantia de segurança poderia fazer com que os sócios dos EUA comecem a desenvolver próprias armas nucleares para proteção.

O Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), assinado em 1987 entre os EUA e a URSS, foi um dos pilares do moderno regime de supervisão e controle sobre a não proliferação das armas nucleares. Os EUA suspenderam suas obrigações no âmbito do tratado no dia 2 de fevereiro, ao acusarem a Rússia de violá-lo. No dia 3 de março, o presidente russo, Vladimir Putin, assinou o decreto para a suspensão do Tratado INF.

Relógio Masculino Curren Pulseira De Couro Esportivo Militar

Relógio Masculino Curren Pulseira De Couro Esportivo Militar Marrom

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas