Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: Brasil poderia se tornar 'vigilante' dos EUA na América Latina

O presidente norte-americano, Donald Trump, referiu a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN. O analista russo Pavel Feldman avaliou a possibilidade de entrada do Brasil na aliança, bem como que papel poderia desempenhar o Brasil no conflito na Venezuela.
Sputnik

Durante a visita oficial do presidente do Brasil Jair Bolsonaro aos EUA, foram discutidos os assuntos internacionais mais importantes, entre eles a cooperação bilateral entre os EUA e o Brasil e a situação na Venezuela.


Uma das declarações mais sensacionais foi a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN, referida pelo presidente dos EUA Donald Trump.

O vice-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Prognósticos da Universidade Russa da Amizade dos Povos, Pavel Feldman, revelou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que os EUA são apenas um dos países da OTAN, há outros países cuja opinião deveria ser levada em conta nesse assunto.

Segundo ele, se o Brasil aderir à OTAN ele vai desempenhar o papel de vigilante d…

F-15 dos EUA descarrega mísseis no Pacífico em meio a pouso de emergência (VIDEO)

Um caça F-15 Eagle ligado à Guarda Aérea Nacional do estado do Oregon foi forçado a disparar seus mísseis no Oceano Pacífico depois de passar por uma emergência de voo.


Sputnik

A aeronave, atribuída à unidade da 142ª Ala de Caça da Base da Guarda Aérea Nacional de Portland, estava no meio de uma missão de treinamento de alerta em 21 de fevereiro de 2019 quando apresentou defeito.


Jato F-15 (arquivo)
F-15 Eagle © Sputnik / Anton Denisov

Na época, a CBS News informou que o mau funcionamento estava "centrado em torno do trem de pouso [da aeronave]". O alerta de emergência foi emitido pela primeira vez às 8h46, hora local, mas o avião só foi pousar cerca de quatro horas depois, no Aeroporto Internacional de Portland, com a ajuda de um cabo de proteção.

Imagens de vídeo captadas pelas agências de notícias locais mostram o jato de combate parando na pista 28-L, quando seu ala decola da área momentos depois. O piloto não sofreu ferimentos e o tráfego aéreo comercial não foi afetado pelo pouso do jato militar. Quase duas semanas após o desenrolar da série de eventos, questões sobre a causa do erro durante o voo e a decisão de despejar os mísseis permaneceram quase sem resposta dos oficiais, que citaram a investigação em andamento como o motivo do silêncio.

Quando contatado pela Military.com, Steven Conklin, o porta-voz da ala 142, disse à publicação que a causa do acidente de voo ainda está sendo investigada. Além disso, ele explicou que a liberação controlada do arsenal do jato foi feita "para a segurança do piloto".

"É necessário que a tripulação aérea coloque a aeronave em uma configuração segura para garantir a recuperação bem-sucedida da aeronave e do piloto", disse Conklin.

De acordo com a The Drive, o custo dos mísseis pode estar na casa dos US $ 4,5 milhões por conta do caça que potencialmente carrega diversas variantes de mísseis ar-ar.

Um ex-piloto não identificado do F-15 expandiu as observações de Conklin, dizendo que o procedimento padrão do serviço para aterrissagens de emergência sempre exige que o avião esteja "limpo", o que significa que nenhum míssil pode estar presente quando ele chega à pista.

"Caso você volte e você esteja potencialmente deslizando na barriga do jato [por causa da emergência], você… só quer que o jato seja o mais limpo possível", observou o ex-piloto.



Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas