Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Família registra queixa após jovem voltar de missão no Exército em surto psicótico no Acre

Felipe Carvalho foi para missão no 7º BEC e uma semana depois voltou para casa agitado, sem falar nem responder estímulos. Exército diz que ele apresentou 'alteração comportamental' e recebeu atendimento.


Por Aline Nascimento | G1 AC — Rio Branco

A família do soldado Felipe da Silva Carvalho, de 19 anos, tenta entender o que aconteceu com o rapaz durante os dias em que ficou sob os cuidados do Exército Brasileiro.

Felipe Carvalho com a família antes de ir para missão e no hospital depois que foi devolvido pelo Exército — Foto: Arquivo da família
Felipe Carvalho com a família antes de ir para missão e no hospital depois que foi devolvido pelo Exército — Foto: Arquivo da família

O rapaz foi levado para uma missão após se alistar no início deste mês e, em menos de dez dias, voltou para casa em surto psicótico. Agora, não fala, não anda e nem responde a estímulos.

O pai do soldado, o funcionário público Gilson Rocha, registrou um boletim de ocorrência e exige explicações do 7° Batalhão de Engenharia de Construção (7° BEC), em Rio Branco. Em foto tirada no dia em que ele foi para a missão, o rapaz estava feliz e saudável.

Ao G1, o comandante do 7° Batalhão de Engenharia de Construção, Flávio do Prado, explicou, por meio de nota, que o soldado entrou no Exército no dia 1º de março de 2019 e, com menos de uma semana de atividades, os colegas perceberam que ele passou a apresentar "algumas alterações em seu padrão comportamental”.

Ainda segundo a nota, o soldado foi encaminhado para acompanhamento com o médico do batalhão, onde recebeu toda assistência e depois foi encaminhado "para um hospital especializado e recomendando a convalescença domiciliar”.

O pai contou que o rapaz foi para missão na Quarta-feira de Cinzas (6), no domingo (10) a mãe foi visitá-lo e estava tudo normal. Na sexta (15), a família diz que um tenente do 7º BEC deixou o rapaz no trabalho da mãe dele afirmando que foram feitos testes e Carvalho não estava apto para o exercício militar.

“Parece uma criança, está travado, foi hospitalizado na UPA [Unidade de Pronto Atendimento] do Segundo Distrito, no domingo [16], esteve no Hosmac [Hospital de Saúde Mental do Acre] , agora estamos retornando. Meu filho está em estado lastimável e o 7º BEC simplesmente entregou ele”, lamentou o pai.

Possível surto

Ainda segundo Rocha, os médicos não sabem informar ao certo o que o jovem tem, mas suspeitam de um quadro de esquizofrenia. Um psiquiatra pediu um tempo para estudar o quadro do rapaz e dar um posicionamento para a família.

“Não sei o que houve com ele, não sei o que acontece com esses recrutas. Meu filho estava normal antes de ir para lá. Na semana inicial estava bem e foi para esse chamado na Quarta-feira de Cinzas e na sexta aconteceu isso”, lamentou.

O recruta esteve no Hospital de Saúde Mental do Acre (Hosmac) nos dias 14, 17 e 18. Segundo a direção, ele apresentava um quadro de surto psicótico nos atendimentos emergenciais em que compareceu à unidade. Ainda segundo o hospital, inúmeras possibilidades podem desencadear um quadro como esse, como uso e abuso de álcool ou drogas e herança familiar.

O hospital informou que só pode passar as informações de atendimento emergencial durante o período em que ele foi atendido. Já a família diz que vai procurar atendimento para o jovem.

O funcionário público criticou também a forma como o rapaz foi devolvido para a família e como o assunto tem sido tratado pelo Exército. A família contratou uma advogada para exigir explicações oficiais do 7º BEC.

“Meu contato tem sido com dois oficiais, um tenente médico que foi na UPA me afrontar e intimidar e outro, o tenente Matos, que falou desse quadro e o levou no Hosmac. Disse que o médico plantonista não receitou nada e tiveram que dar algo no alojamento para ele se acalmar e não se acalmou”, complementou.

Sonho

O pai diz também que foi avisado que em 30 dias a família e o rapaz serão chamados para receber o certificado de dispensa. O Exército afirmou aos pais que abriu uma sindicância para apurar o que aconteceu ao jovem.

“Entregamos nosso filho para o Exército Brasileiro, era o sonho dele, estava animado e agora está assim. Não responde estímulos, não anda, parece um robô. Repetia que me ama e ama a mãe dele, mas agora não fala mais nada. Meu filho não é um coturno que foi jogado lá e devolvido”, criticou.

Emocionado, Gilson Rocha contou que o filho estava no segundo período do curso de educação física, mas decidiu trancar o curso para se alistar. O pai acrescentou que Felipe nunca teve um surto assim, é um rapaz normal, tem vários amigos e é caseiro.

"Alegam que pode estar desenvolvendo um quadro esquizofrênico, mas estava a cargo do Exército e não poderia ter sido devolvido dessa forma. Foram no trabalho da mãe dele, exposto a todos e, inclusive, ela é vigilante e teve até problemas no trabalho. Condenamos a forma que deixaram, forma desumana", desabafou.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas