Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Fuzileiros Navais do Brasil e dos EUA ratificam acordo de cooperação

Diálogo conversou com o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil (MB) Nélio de Almeida para conhecer detalhes dessa parceria
Por Marcos Ommati | Diálogo Américas | Poder Naval

Criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento combinado entre os Fuzileiros Navais do Brasil e dos Estados Unidos. Este é o objetivo principal de um plano de cinco anos ratificado em fevereiro de 2019 entre os representantes de ambas as forças, o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil Nélio de Almeida, comandante do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil e presidente nacional da Associação de Veteranos desta força, e o Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais Sul dos EUA (MARFORSOUTH, em inglês). O C Alte Nélio recebeu Diálogo em seu escritório na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, para dar detalhes do acordo e conversar sobre outros temas de interesse das marinhas do Brasil e de outros países da região e dos E…

Mulheres são maioria entre novos alunos do Curso de Formação de Sargentos de Juiz de Fora

O Curso de Formação de Sargentos em Juiz de Fora apresentou um aumento significativo de mulheres em busca da carreira militar. A Sputnik Brasil conversou com o Centro de Comunicação Social do Exército sobre a presença feminina nos serviços militares.


Sputnik

86 alunos de todo o Brasil, sendo 54 mulheres, iniciaram neste mês o Curso de Formação de Sargentos do 4.° Grupo de Artilharia de Campanha Leve, em Juiz de Fora, MG. 


Desfile cívico-militar do 7 de setembro na Avenida Presidente Vargas, centro do Rio de Janeiro
Militares brasileiras | Fernando Frazão/ Agência Brasil

O Centro de Comunicação Social do Exército, em nota à Sputnik Brasil, comentou que as tarefas executadas pelas mulheres no Curso de Formação de Sargentos não têm distinção das atividades dos homens.

"Atualmente no universo das praças [sargentos], as mulheres podem ingressar como militares de carreira ou temporárias. Como militares temporárias, de acordo com a necessidade de cada Região Militar, o ingresso pode ser nas diversas áreas previstas na Portaria 171-DGP, de 8 de julho de 2009, que aprova as áreas e Habilitações Técnicas de Interesse do Exército destinadas a Oficiais e Sargentos do Serviço Técnico Temporário", informou o Exército.

Assim, a instituição afirma que "em qualquer das situações de ingresso as tarefas executadas são as mesmas dos homens, de acordo com a formação ou habilitação técnica, não havendo distinção de gênero".

O Centro de Comunicação Social do Exército observou também que as mulheres ocupam cargos de chefia na unidade.

"Geralmente em setores administrativos, de saúde, jurídico, de tecnologia da informação e outros, cabendo ressaltar que a chefia é prerrogativa dos militares do segmento feminino que ingressaram como oficiais", diz a nota.

De acordo com os dados fornecidos pelo Exército, houve um crescimento significativo da participação feminina no efetivo nos últimos anos. O número de mulheres praticamente dobrou nos últimos 10 anos. Em 2008, o número de mulheres no efetivo total (oficiais e praças) era de 5.529, aumentando para 10.978 em 2018.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas