Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: Brasil poderia se tornar 'vigilante' dos EUA na América Latina

O presidente norte-americano, Donald Trump, referiu a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN. O analista russo Pavel Feldman avaliou a possibilidade de entrada do Brasil na aliança, bem como que papel poderia desempenhar o Brasil no conflito na Venezuela.
Sputnik

Durante a visita oficial do presidente do Brasil Jair Bolsonaro aos EUA, foram discutidos os assuntos internacionais mais importantes, entre eles a cooperação bilateral entre os EUA e o Brasil e a situação na Venezuela.


Uma das declarações mais sensacionais foi a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN, referida pelo presidente dos EUA Donald Trump.

O vice-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Prognósticos da Universidade Russa da Amizade dos Povos, Pavel Feldman, revelou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que os EUA são apenas um dos países da OTAN, há outros países cuja opinião deveria ser levada em conta nesse assunto.

Segundo ele, se o Brasil aderir à OTAN ele vai desempenhar o papel de vigilante d…

Parlamentar turco: Turquia não vai reagir às ameaças dos EUA pela compra do S-400

As ameaças de Washington a Ancara pela compra de sistemas russos de defesa antiaérea S-400 são insensatas e não obterão resultados, declarou Omer Celik, porta-voz do governista Partido da Justiça e Desenvolvimento da Turquia.


Sputnik

De acordo com Celik, os EUA declaram coisas imprudentes sobre os complexos S-400 e ameaçam "reconsiderar a participação da Turquia no programa de F-35".


O sistema da defesa antiaérea S-400 (foto de arquivo)
S-400 Triumph © Sputnik / Dmitry Vinogradov

"Isso já irrompeu limites da razão. Retórica assim não dará nenhum resultado. Quaisquer problemas entre os aliados devem ser resolvidos através do diálogo. Não vamos reagir a ameaças", afirmou Celik a repórteres.

Ele acrescentou que as ameaças dos EUA de sancionar Turquia é uma retórica incorreta e indigna dos aliados da OTAN. Segundo ele, os S-400 fornecidos à Turquia não serão vendidos a países terceiros.

O contrato de concessão de crédito para o fornecimento dos sistemas russos de defesa antiaérea S-400 à Turquia foi assinado em dezembro de 2017 em Ancara. Como afirmou o chefe da estatal russa Rostec, Sergei Chemezov, trata-se do fornecimento de quatro divisões de S-400 no valor de 2,5 bilhões de dólares. O ministro da Defesa da Turquia, Hulusi Akar, afirmou que os sistemas S-400 serão instalados em outubro de 2019.

Os EUA passaram meses fazendo lobby para que a Turquia abandonasse o acordo de compra dos S-400 com a Rússia. No mês passado, o Departamento de Estado aprovou a venda de sistemas de mísseis Patriot ao país, no valor de US$ 3,5 bilhões. Ancara respondeu dizendo que consideraria os Patriot, mas que isso não afetaria o contrato para compra dos S-400.

As autoridades dos EUA caracterizaram a possível instalação de S-400 em áreas onde caças F-35 estão programados a operar como "ameaça", presumivelmente porque o sistema permitiria que a Turquia testasse as capacidades dos sistemas furtivos dos F-35 quando comparados ao sistema de defesa antiaérea russo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas