Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump reconhece soberania de Israel sobre Colinas de Golã

Ao lado de Netanyahu, presidente dos EUA contradiz décadas de política externa e reconhece a soberania de Israel sobre o território, ocupado em 1967 e anexado em 1981. Síria vê ataque a sua integridade territorial.
Deutsch Welle

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu formalmente nesta segunda-feira (25/03) a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã, um território disputado com a Síria e que Israel anexou em 1981.

O governo do presidente sírio, Basahr al-Assad, respondeu de imediato e afirmou que a decisão é um ataque à soberania e à integridade territorial da Síria.

O decreto de reconhecimento foi assinado no início de um encontro com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Washington. Trump justificou a medida com as "ações agressivas" do Irã e de grupos "terroristas" contra Israel.

Netanyahu disse que se trata de um dia histórico e que Trump é o melhor amigo que Israel já teve.

Em Israel, o reconhecimento pode significar um forte i…

Poroshenko planejava trocar a Crimeia pela entrada na OTAN, diz ex-presidente da Geórgia

O ex-presidente georgiano Mikheil Saakashvili, que também serviu como governador da região de Odessa, afirmou nesta terça-feira que o presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, teria informado o político georgiano em 2014 da intenção de "trocar" a Crimeia pela OTAN e pela União Europeia (UE).


Sputnik

"Eu tive uma conversa com Poroshenko e ele me disse: 'Você quase se acostumou com a ideia de que a Ossetia do Sul e a Abkhazia nunca mais se tornarão parte da Geórgia, e devemos nos acostumar com a ideia de que a Ucrânia nunca mais terá a Crimeia também, mas vamos trocá-lo por ser membro da UE e da OTAN", revelou Saakashvili em entrevista ao jornalista ucraniano Dmitry Gordon.


Mikheil Saakashvili, governador da região de Odessa
Mikheil Saakashvili © AP Photo / Efrem Lukatsky

Enquanto isso, Saakashvili acrescentou que a Rússia reunida da Crimeia pode servir como uma razão pela qual a Ucrânia não pode entrar nos dois blocos desde que "existe um conflito territorial".

A Crimeia voltou à Rússia em março de 2014, quando 97% dos participantes de um referendo regional votaram pela reunificação. O presidente russo Vladimir Putin disse que a questão da pertença territorial da Crimeia é "historicamente fechada", já que os moradores da Crimeia decidiram se unir à Rússia de acordo com os procedimentos democráticos.

Países ocidentais criticam a reunificação, acusando a Rússia de interferência na crise interna ucraniana – o que Moscou nega –, e tal postura rendeu até mesmo sanções contra o Kremlin.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas