Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares revelam como suas vidas foram destruídas pelo Exército dos EUA

O Twitter oficial do Exército dos EUA realizou uma pesquisa para averiguar como o serviço impactou a vida de seus militares.
Sputnik

Atualmente, mais de 9.000 pessoas já compartilharam suas opiniões. Apesar de constatarem que o serviço no Exército fortalece fisicamente e emocionalmente as pessoas, dando algum sentido às suas vidas e abrindo perspectivas profissionais, há muitos outros comentários com declarações céticas e críticas sobre a influência do Exército dos EUA no mundo, no país e na sua vida pessoal.

Várias pessoas compartilharam histórias de seus familiares que cometeram suicídio, sofreram de transtorno por estresse pós-traumático, passaram por mudanças radicais de caráter e comportamento ou deixaram de ser saudáveis depois de participarem em ações militares dos EUA.

Além disso, há aqueles cujos familiares ou eles próprios foram abusados durante o serviço.

Outros usuários recordaram que os horrores da guerra deixam cicatrizes na mente.

Diversos outros usuários da rede social compa…

Seul e Washington iniciarão novas manobras militares na Coreia na 2ª feira

A Coreia do Sul e os Estados Unidos anunciaram neste domingo que iniciarão amanhã novas manobras militares conjuntas em substituição dos seus frequentes testes anuais de grande escala, que foram cancelados depois do fim da cúpula fracassada entre Washington e Pyongyang.


EFE

Seul - Os novos exercícios, chamados "Dong Maeng" ("Aliança", em coreano), são "uma modificação dos exercícios prévios da primavera 'Foal Eagle' e 'Key Resolve' e se centrarão em aspectos táticos, operacionais e estratégicos das operações militares gerais na península coreana", diz o comunicado conjunto das Forças Armadas de Washington e Seul.


Exercícios Foal Eagle com militares de EUA e Coreia do Sul
Militares norte-americanos e sul-coreanos em exercício © AP Photo / Lee Jin-man

As manobras serão desenvolvidas durante nove dias e se desenvolverão com o objetivo de que as tropas dos dois países mantenham "um padrão de preparação", de acordo com a nota assinada pelo chefe do comando militar conjunto de Seul, Park Han-ki, e Robert B. Abrams, comandante das forças americanas na Coreia do Sul (USFK, sigla em inglês).

Este anúncio vem depois que o Departamento de Defesa dos EUA ter divulgado ontem o cancelamento das manobras, após uma conversa telefônica entre seu titular interino, Patrick Shanahan, e seu colega sul-coreano, Jeong Kyeong-doo, que aprovaram as decisões recomendadas pelo comando militar dos dois países.

"Após uma estreita coordenação, as duas partes decidiram concluir as séries de exercícios (militares) 'Key Resolve' e 'Foal Eagle'", afirma a nota.

As manobras "Key Resolve" costumavam ser desenvolvidas em março e duravam cerca de duas semanas, coincidindo com "Foal Eagle", que acontecia por um mês. Ambos exercícios eram habitualmente condenados duramente pela Coreia do Norte, que os classificava como "teste de invasão" de seu território.

Autoridades de defesa em Seul e Washington ressaltaram que essa decisão de adaptar "o programa de treinamento" reflete o desejo de ambos os países de reduzir a tensão e apoiar os esforços diplomáticos "para conseguir a completa desnuclearização da península coreana de uma maneira definitiva e verificada".

No ano passado, a Coreia do Sul e EUA já suspenderam várias de suas operações conjuntas de grande escala na região para favorecer negociações diplomáticas com Pyongyang, embora continuassem com manobras de menor escala para manter sua preparação bélica.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas