Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Seul e Washington iniciarão novas manobras militares na Coreia na 2ª feira

A Coreia do Sul e os Estados Unidos anunciaram neste domingo que iniciarão amanhã novas manobras militares conjuntas em substituição dos seus frequentes testes anuais de grande escala, que foram cancelados depois do fim da cúpula fracassada entre Washington e Pyongyang.


EFE

Seul - Os novos exercícios, chamados "Dong Maeng" ("Aliança", em coreano), são "uma modificação dos exercícios prévios da primavera 'Foal Eagle' e 'Key Resolve' e se centrarão em aspectos táticos, operacionais e estratégicos das operações militares gerais na península coreana", diz o comunicado conjunto das Forças Armadas de Washington e Seul.


Exercícios Foal Eagle com militares de EUA e Coreia do Sul
Militares norte-americanos e sul-coreanos em exercício © AP Photo / Lee Jin-man

As manobras serão desenvolvidas durante nove dias e se desenvolverão com o objetivo de que as tropas dos dois países mantenham "um padrão de preparação", de acordo com a nota assinada pelo chefe do comando militar conjunto de Seul, Park Han-ki, e Robert B. Abrams, comandante das forças americanas na Coreia do Sul (USFK, sigla em inglês).

Este anúncio vem depois que o Departamento de Defesa dos EUA ter divulgado ontem o cancelamento das manobras, após uma conversa telefônica entre seu titular interino, Patrick Shanahan, e seu colega sul-coreano, Jeong Kyeong-doo, que aprovaram as decisões recomendadas pelo comando militar dos dois países.

"Após uma estreita coordenação, as duas partes decidiram concluir as séries de exercícios (militares) 'Key Resolve' e 'Foal Eagle'", afirma a nota.

As manobras "Key Resolve" costumavam ser desenvolvidas em março e duravam cerca de duas semanas, coincidindo com "Foal Eagle", que acontecia por um mês. Ambos exercícios eram habitualmente condenados duramente pela Coreia do Norte, que os classificava como "teste de invasão" de seu território.

Autoridades de defesa em Seul e Washington ressaltaram que essa decisão de adaptar "o programa de treinamento" reflete o desejo de ambos os países de reduzir a tensão e apoiar os esforços diplomáticos "para conseguir a completa desnuclearização da península coreana de uma maneira definitiva e verificada".

No ano passado, a Coreia do Sul e EUA já suspenderam várias de suas operações conjuntas de grande escala na região para favorecer negociações diplomáticas com Pyongyang, embora continuassem com manobras de menor escala para manter sua preparação bélica.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas